PUBLICIDADE

Mundo

Após turbulência em voo da Singapore Airlines, tripulações pedem que passageiros apertem os cintos

21 mai 2024 - 20h18
Compartilhar
Exibir comentários

Apertem os cintos. Essa é a mensagem de comissários de bordo e pilotos após a grave turbulência no voo da Singapore Airlines nesta terça-feira, que provocou uma morte e deixou dezenas de outras pessoas feridas. 

O voo de Londres para Cingapura enfrentou forte turbulência sobre o Oceano Índico e caiu cerca de 1.800 metros em aproximadamente três minutos, antes de um pouso de emergência em Bangkok.

A Singapore Airlines não diz qual foi o tipo de turbulência, mas especialistas em aviação suspeitam que foi uma turbulência de céu claro (CAT), considerada a mais perigosa. 

A CAT é praticamente indetectável com a tecnologia atual, o que significa que pode aparecer sem alerta -- o que torna ainda mais importante que passageiros em um avião usem cintos de segurança sempre que estiverem sentados, dizem especialistas de segurança.  

As companhias aéreas são obrigadas por lei a ligar o alerta de cinto de segurança durante a decolagem e o pouso dos voos, mas elas têm seus próprios procedimentos para lidar com turbulência no ar.

Uma testemunha do voo da Singapore Airlines disse que várias pessoas que não estavam usando cinto de segurança foram arremessadas pela cabine quando o avião mergulhou, com muitas batendo as cabeças. 

Sara Nelson, presidente da Associação de Comissários de Bordo (CWA), que representa mais de 50.000 profissionais em 20 companhias aéreas, disse que os exemplos de turbulência de céu claro estão crescendo e não podem ser vistos, enfatizando a importância de apertar os cintos durante os voos. 

"É uma questão de vida ou morte", disse Nelson. 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade