PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

PF vai usar fala de Bolsonaro sobre 'minuta do golpe' em investigação

Fala aconteceu durante ato convocado pelo ex-presidente para se defender politicamente do inquérito sobre tentativa de golpe de Estado

26 fev 2024 - 16h04
(atualizado às 16h08)
Compartilhar
Exibir comentários
Bolsonaro convocou ato em São Paulo após avanço de investigações sobre tentativa de golpe
Bolsonaro convocou ato em São Paulo após avanço de investigações sobre tentativa de golpe
Foto: DW / Deutsche Welle

A Polícia Federal (PF) vai incluir as falas que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) fez durante ato na Av. Paulista, neste domingo, 25, na investigação sobre tentativa de golpe de Estado. Para investigação, a declaração reforça suspeitas da participação do ex-presidente na elaboração de uma minuta de decreto para golpe de Estado. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo e confirmada à coluna por uma fonte ligada à investigação.

“Agora, o golpe é por que tem uma minuta de um decreto de estado de defesa. Golpe? Usando a Constituição? Tenham a santa paciência. Golpe usando a Constituição. Deixo claro que o estado de sítio começa com o presidente da República convocando os conselhos da República e da Defesa. Isso foi feito? Não”, disse Bolsonaro.

O ex-presidente disse que para efetivação do estado de sítio, seria necessário que o Congresso analisasse e efetivasse a proposta do presidente. Segundo a PF, Bolsonaro foi um dos articuladores de uma proposta para um golpe nos demais poderes da República, com a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal e que "por fim determinava a realização de novas eleições". De acordo com a investigação, o próprio Bolsonaro pediu alterações no documento.

“Apesar de não ser golpe o estado de sítio, não foi convocado ninguém dos conselhos da República e da Defesa para se tramar ou se botar no papel a proposta do estado de sítio”, disse Bolsonaro. Desde que as investigações começaram, o ex-presidente nega que tenha cometido qualquer crime ou irregularidade.

Bolsonaro e ex-ministros que integravam seu governo estão na mira da PF no inquérito que apura tentativa de golpe de Estado e de abolição violenta do Estado Democrático de Direito. Inelegível por decisão do Tribunal Superior Eleitoral, o ex-presidente convocou seus militantes para um ato de apoio, ocorrido no último domingo, 25.

Há uma divergência sobre a quantidade de manifestantes presentes. Um estudo da Universidade de São Paulo estima que participaram 185 mil pessoas, já a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que foram 600 participantes.

Aliados de Bolsonaro viram na manifestação uma demonstração de força do ex-presidente e liderança entre eleitores da direita e extrema-direita.

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade