4 eventos ao vivo

Pré-candidatos do PT e do DEM trocam ataques e polarizam debate eleitoral

Discussão política teve como pano de fundo os serviços estadual e municipal de educação e saúde

11 jul 2018
19h38
atualizado às 20h02
  • separator
  • comentários

SALVADOR - O governador Rui Costa (PT), que postulará a reeleição em outubro, e o pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, José Ronaldo, trocaram ataques, nesta quarta-feira, 11, que tiveram como pano de fundo os serviços públicos de educação e saúde.

Até o prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, que está fora das eleições 2018 mas é principal articulador político da oposição, entrou na discussão. A troca de farpas, a dois meses e meio das eleições, polariza o debate eleitoral entre PT e DEM — o que vem acontecendo no Estado desde a redemocratização do País.

A troca de ataques teve início após o governador Rui Costa criticar a gestão de saúde da prefeitura de Feira de Santana, segundo maior município baiano, onde José Ronaldo foi prefeito durante quatro mandatos, entre entre 2001 e 2008 e entre 2013 e 2018. Em entrevista à rádio Metrópole, na capital baiana, o pré-candidato petista à reeleição afirmou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) era inoperante na cidade vizinha. Na sequência, criticou a educação de Salvador, sob a gestão de ACM Neto, ao dizer que as escolas administradas pelo governo do Estado tem mais alunos matriculados do que a prefeitura no ensino fundamental — faixa educacional de responsabilidade do município.

"Se não fosse trágico, seria cômico, porque é uma piada o governador dizer uma coisa dessas", rebateu o prefeito ACM Neto, por meio de nota. Segundo ele, a rede municipal de ensino de Salvador possui 118.321 alunos de ensino fundamental, enquanto o Estado, em sua rede, tem 100.710 nessa mesma faixa de ensino. "O governador ou faltou com a verdade para fazer proselitismo político ou desconhece a realidade dos números", atacou o presidente do DEM.

Já o pré-candidato José Ronaldo afirmou, também em comunicado, que "o governador está mal informado". Disse ainda que Rui "agiu de má fé" e com "falta de escrúpulos" ao criticar a gestão de Feira de Santana. "Como sede do Samu Regional, (o município de) Feira de Santana sempre articulou esse processo e mantém diálogo contínuo com gestores e equipe técnica regional na perspectiva de orientar e ampliar a regionalização das urgências na microrregional. O que se observa é a falta de escrúpulos do governador ao querer desvirtuar a informação. Não se pode aceitar isso de um gestor público", respondeu José Ronaldo.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade