0

Grupos de renovação avançam nos municípios, mas encaram resistência nas eleições 2020

Cerca de 200 representantes de movimentos foram eleitos; 'Voto foi menos propenso a novidades neste ano', diz analista político

18 nov 2020
11h12
atualizado às 11h34
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

As eleições 2020 marcam a entrada, em Câmaras e prefeituras de todo o Brasil, de pelo menos 200 representantes de movimentos de renovação e grupos cívicos de formação política, como RenovaBR, Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), Acredito, Agora, Livres e Vamos Juntas. Apesar do número ser comemorado pelos grupos, eleitos e não eleitos relatam que as campanhas tiveram que enfrentar resistência e desconfiança em busca de espaço. Para analistas ouvidos pelo Estadão, a tendência de renovação indicada no pleito de 2018 não foi uma realidade neste ano.

O RenovaBR estará representado por 147 eleitos em 121 cidades. Entre eles, 10 prefeitos e um vice-prefeito. O número representa 14% dos associados que saíram candidatos. É a mesma porcentagem de efetividade que o grupo conquistou em 2018, quando elegeu 17 de seus 117 candidatos. Entre lideranças da Raps, um a cada quatro candidatos foi eleito neste ano. Foram 50 nomes com resultado positivo nas urnas em 44 cidades; entre eles, também 10 prefeitos; outros 12 candidatos disputam o 2º turno como cabeça de chapa ou vice. O Acredito será representado por 2 prefeitos e 16 vereadores. O Livres terá 12 representantes em Câmaras. O Vamos Juntas, 11 vereadoras; e o Agora, um prefeito.

Em Bezerros, cidade de cerca de 60 mil habitantes no agreste pernambucano, a prefeita eleita Lucielle Laurentino (DEM), de 31 anos, viu seu jeito de fazer política ser recebido com desconfiança. "Subestimam a renovação, falam que é coisa de sonhador, de jovem. Num município pequeno, há vícios na política, como a compra de votos", diz Lucielle, que é associada a RenovaBR, Raps, Acredito e Vote Nelas. "Nosso jeito de fazer campanha teve a ver com resultados, metas, fomos propositivos. Assustou um pouco, o povo duvidou, mas encaramos o desafio e o resultado veio das urnas."

Candidata a vereadora de São Paulo pelo Cidadania, Malu Molina teve apoio de uma das principais sensações eleitorais ligadas à renovação em 2018, a deputada federal Tabata Amaral - não foi o suficiente. Malu recebeu mais de 8 mil votos, mas não se elegeu. Para ela, que é associada a Raps, Vamos Juntas, Acredito e RenovaBR, a pulverização de candidaturas de movimentos de renovação entre muitos partidos é um problema. O Estadão mostrou que 29 das 33 siglas do País lançaram candidatos egressos de grupos de renovação.

"É um ponto discutir a dicotomia qualidade versus quantidade", diz Malu. "Se somarmos os candidatos de renovação em sua pluralidade, é uma chapa vencedora. Mas minha impressão é que houve uma pulverização desse campo. Cresceu, mas se fragmentou. Não foi tão coeso como em 2018. É importante fortalecer uma frente ampla que traga a discussão política para o centro, que é o campo que a renovação representa."

O cientista político Rafael Cortez, da Tendências Consultoria, afirma que as demandas por renovação perderam intensidade entre 2018 para 2020 e isso se percebe no comportamento do eleitor. Uma das razões é que a ideia de "renovação" pode ter ficado associada a figuras de fora de política e que não necessariamente passaram por algum tipo de preparação. "Neste ano, há uma rejeição no eleitorado a nomes eleitos em 2018 e que se mostraram como 'renovação'. Governadores afastados, por exemplo (Wilson Witzel, do Rio de Janeiro; e Carlos Moisés, de Santa Catarina). Há ainda uma demanda por renovação, o problema é achar espaço sem o efeito da onda que foi 2016 e 2018. Há um desafio para tornar mais eficiente a busca por espaço desses novos quadros."

Para o cientista político Rodrigo Prando, da Universidade Mackenzie, a pandemia afetou esta mudança de tendência no comportamento do eleitorado. "Em todo o Brasil, o cidadão optou dessa vez por ficar nos candidatos conhecidos e que demonstraram experiência. Com a pandemia, as pessoas exigem o conhecimento necessário para tratar deste problema. Por isso, é um voto menos propenso a experimentações e novidades."

Associada ao Livres, a vereadora eleita de São Paulo Cris Monteiro (Novo) afirma que a eleição deste ano marcou uma mudança de prioridade em relação ao último pleito. "Desde o começo da campanha, percebi que a renovação não seria o mote deste ano. Foi forte em 2018, tem um resquício, mas a pandemia trouxe um desejo de resolução de problemas. O movimento de renovação ficou secundário menos por rechaço, mas mais pela prioridade em outro lugar. E neste ano a prioridade foi: quem vai resolver meu problema?"

Prefeito eleito em Ascurra (SC), Arão Josino (PSD), associado a Agora, Raps e Renova, acredita que a mudança no comportamento de eleitor entre 2018 e 2020 tem a ver ainda com uma expectativa por mais qualidade na política. "Em 2018, queriam a mudança por si só, alguém diferente. Agora, as pessoas buscaram uma renovação com preparo e de preferência com experiência. Num momento como este, a população fica insegura e busca experiência", disse o prefeito eleito, que tem 28 anos.

Veja a lista de eleitos por movimento de renovação:

(RenovaBR não divulga a lista de eleitos, mas disponibiliza um mapa de lideranças em seu site oficial)

RAPS:

Prefeitos

Alysson Bezerra (SD) - Mossoró (RN)

Arão Josino (PSD) - Ascurra (SC)

Axel Grael (PDT) - Niterói (RJ)

Bruno Cunha Lima (PSD) - Campina Grande (PB)

Edilson Tavares (MDB) - Toritama (PE)

Guto Issa (PODE) - (São Roque (SP)

João Marcelo Dieguez (Cidadania) - Nova Lima (MG)

Luiz Paulo (PP) - Curvelo (MG)

Miguel Coelho (MDB) - Petrolina (PE)

Raquel Lyra (PSDB) - Caruaru (PE)

Vereadores

Alliny Sartori (MDB) - Ibitinga (SP)

André Fraga (PV) - Salvador (BA)

André Meirinho (PP) - Balneário Camburiú (SC)

André Vechi (DC) - Brusque (SC)

Amália Tortato (NOVO) - Curitiba (PR)

Bruno Cunha (Cidadania) - Blumenau (SC)

Carlos Bezerra Jr. (PSDB) - São Paulo (SP)

Cesar Brizolara (PSB) - Pelotas (RS)

Cristina Monteiro (NOVO) - São Paulo (SP)

Diego Guimarães (Cidadania) - Cuiabá (MT)

Dori Silva (REDE) - Mairiporã (SP)

Franciele Back (PSDB) - Gaspar (SC)

Gabriel Azevedo (PATRI) - Belo Horizonte (MG)

Indiara (NOVO) - Curitiba (PR)

Janaína Lima (NOVO) - São Paulo (SP)

Janayna (PL) Itapoá (SC)

Jorge Amaro (PP) - Mostardas (RS)

José Pugliesi (MDB) - Guaíra (SP)

Leandro Morais (PSDB) - Pouso Alegre (MG)

Lins Robalo (PT) - São Borja (RS)

Lucas Gotardo (NOVO) - Balneário Camburiú (SC)

Lucas Arruda (REDE) - Poços de Caldas (MG)

Luiz Emanuel Zouain (Cidadania) - Vitória (ES)

Macaé Evaristo (PT) - Belo Horizonte (MG)

Maiara Campos (MDB) - Palmácia (CE)

Marcela Trópia (NOVO) - Belo Horizonte (MG)

Marcelo Silva (PSD) - Campinas (SP)

Marcos Papa (Cidadania) - Ribeirão Preto (SP)

Maryanne Mattos (PL) - Florianópolis (SC)

Moisés Barbosa 'Maluco Do Bem' (PSDB) - Porto Alegre (RS)

Péricles Régis (MDB) - Sorocaba (SP)

Professor Bittencourt (PCdoB) - Aracaju (SE)

Ralf Silva (PL) - Iracemápolis (SP)

Ramon Novaes (PT) - Quixabeira (BA)

Rochelle Gutierrez (PP) - Uberaba (MG)

Rodrigo Paixão (PDT) - Vinhedo (SP)

Sabrina Garcez (PSD) - Goiânia (GO)

Thainara Faria (PT) - Araraquara (SP)

Thiago Lucena (PRTB) - João Pessoa (PB)

Washington Bortolossi (Cidadania) - Itatiba (SP)

ACREDITO

Prefeitos

João Marcelo Dieguez Pereira - Nova Lima (MG)

Lucielle Laurentino (DEM) - Bezerros (PE)

Vereadores

Maria Luiza Fernandes (SD) - Mogi das Cruzes (SP)

Beatriz Retto Bogossian (PSB) - Três Rios (RJ)

Carolayne Gonçalves (MDB) - Toritama (PE)

Lohanna Souza França Moreira de Oliveira (Cidadania) - Divinópolis (MG)

Izabella Vicente de Carvalho Camargo (Rede) - Macaé (RJ)

Camila Bazachi Jara (PT)- Campo Grande (MS)

Danilo Marinho Lamêgo Borges (PT) - Araçuaí (MG)

Juliana Sales (Cidadania) - Nova Lima (MG)

Mariana Silva Calsa (PL) - Limeira (SP)

Fabiano Ferreira dos Santos (Cidadania) - Timóteo (MG)

Rochelle Bazaga (Progressistas) - Uberaba (MG)

Juliane dos Santos Grecco (PRB) - Itápolis (SP)

Maryanne Mattos (PL) - Florianópolis (SC)

Reuler Cardoso Pereira (Patriota) - Araporã (MG)

Fernanda Marques Fernandes (Progressistas) - Esteio (RS)

Igor Prado Tavares (PSDB) - Pouso Alegre (MG)

LIVRES

Vereadores

Emerson Jarude (MDB) - Rio Branco (AC)

Gabriel Azevedo (Patriota) - Belo Horizonte (MG)

Marcela Trópia (Novo) - Belo Horizonte (MG)

Rodrigo Zara (Progressistas) - Conquista (MG)

Jamir Calili (Podemos) - Governador Valadares (MG)

Caio Godoi (SD) - Uberaba (MG)

Thiago Lucena (PRTB) - João Pessoa (Paraíba)

Amália Tortato (Novo) - Curitiba (PR)

Pedro Duarte (Novo) - Rio de Janeiro (RJ)

Lucas Gotardo (Novo) - Balneário Camboriú (SC)

André Vechi (DC) - Brusque (SC)

Cristina Monteiro (Novo) - São Paulo (SP)

VAMOS JUNTAS

Vereadoras

Maryanne Mattos (PL) - Florianópolis (SC)

Camila Jara (PT) - Campo Grande (MS)

Michelle Melo (PDT) - Rio Branco (AC)

Carol Gonçalves (MDB) - Toritama (PE)

Andreia Rezende (SD) - Anápolis (GO)

Juci Cardoso (PCdoB) - Alagoinhas (BA)

Iza Vicente (Rede) - Macaé (RJ)

Rochelle Gutierrez Bazaga (PP) - Uberaba (MG)

Ana Paula Quintino (PSC) - Divinópolis (MG)

Duda Hidalgo (PT) - Ribeirão Preto (SP)

Fernanda Curti (PT) - Guarulhos (SP)

AGORA

Prefeito

Arão Josino (PSD) - Ascurra (SC)

Veja também:

Motociclista fica ferido em batida no Jardim Coopagro, em Toledo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade