0

FHC critica Dilma e reivindica paternidade de ações sociais

Segundo o ex-presidente, desempenho de Aécio Neves é superior ao dos tucanos José Serra e Geraldo Alckmin por demonstrar "lealdade" ao seu governo

23 out 2014
08h02
atualizado às 08h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>&quot;&Eacute; verdade que n&oacute;s fizemos a estabiliza&ccedil;&atilde;o, que iniciamos os programas sociais. Dizer que n&atilde;o, para ganhar a elei&ccedil;&atilde;o, me entristece&rdquo;, disse FHC sobre Dilma Rousseff, candidata &agrave; reelei&ccedil;&atilde;o ao Planalto</p>
"É verdade que nós fizemos a estabilização, que iniciamos os programas sociais. Dizer que não, para ganhar a eleição, me entristece”, disse FHC sobre Dilma Rousseff, candidata à reeleição ao Planalto
Foto: Fernando Borges / Terra

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) se diz “entristecido” com a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), por não reconhecer os avanços feitos durante seu governo (1995 – 2002). Em entrevista à Folha de S. Paulo, o tucano também reivindica a paternidade dos programas sociais e diz que não se incomoda com as críticas de seu sucessor no Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva, mas que não esperava a mesma postura de Dilma.

“Ela não pode acreditar no que está dizendo. É verdade que nós fizemos a estabilização, que iniciamos os programas sociais. Dizer que não, para ganhar a eleição, me entristece”, disse FHC.

Para ele, o desempenho de Aécio Neves (PSDB) nesta eleição – que é superior ao dos tucanos José Serra, derrotado em 2002 e 2010, e Geraldo Alckmin, que concorreu em 2006 – se deve à “lealdade” que o candidato tucano tem demonstrado com o governo FHC.

“O que foi feito por mim, pertence à história. Agora, ele mostrou uma coisa que o povo valoriza: lealdade. Não fugiu da briga. E isso mostra caráter”.

Segundo Fernando Henrique, Serra e Alckmin também tinham lado, mas o momento não era favorável. “Lula passou dez anos tentando destruir o que fiz. Neste momento, como a situação piorou, as pessoas abriram os ouvidos”, afirmou.

O ex-presidente também disse que a campanha petista faz afirmações falsas sobre seu governo e tenta “demonizar tudo o que fizemos”. “Nunca fui favorável à privatização indiscriminada, nunca quis privatizar o Banco do Brasil ou a Petrobras”.

Questionado se tem água em sua casa, em função da crise que atinge o Sistema Cantareira, o morador do bairro de Higienópolis, em São Paulo, disse que sim. “Sou econômico em tudo, até na água”.

Veja o cenário eleitoral nos estados Veja o cenário eleitoral nos estados

Veja também:

Equipes seguem com ações de fiscalização em Cascavel
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade