PUBLICIDADE

Ala do União Brasil vai pedir impugnação da filiação de Moro

Grupo liderado por ACM Neto irá apresentar requerimento à cúpula partidária; decisão vem após a 'não desistência' de Moro ao pleito de 2022

1 abr 2022 18h26
| atualizado às 18h35
ver comentários
Publicidade
Requerimento que pede a impugnação da filiação de Sergio Moro ao União Brasil vem após a 'não desistência' do ex-juiz ao pleito de 2022
Requerimento que pede a impugnação da filiação de Sergio Moro ao União Brasil vem após a 'não desistência' do ex-juiz ao pleito de 2022
Foto: BRUNO ROCHA/ENQUADRAR / Estadão

Ala liderada por ACM Neto no União Brasil, secretário-geral do partido, vai pedir a impugnação da filiação de Sergio Moro. A decisão foi tomada após o ex-ministro de Jair Bolsonaro negar que seria candidato a Deputado Federal, no pleito de 2022, insinuando que segue na disputa pela Presidência

"Vamos apresentar ainda hoje um requirimento de impugnação da filiação dele [Sergio Moro]. Será assinado pelos 8 membros com direito a voto no partido, o que corresponde a 49% do colegiado. A filiação, uma vez impugnada, requer 60% para ter validade", disse ACM Neto à Globonews nesta sexta-feira, 1º. 

Além de ACM Neto, outro nome de peso do partido, ogovernador de Goiás, Ronaldo Caiado, também defende a desfiliação de Moro. "Se ele for se filiar para ser candidato a Presidente, vamos pedir a impugnação da filiação dele agora", afirmou Caiado ao Estadão.

O ex-juiz da Operação Lava Jato teria sido pressionado para dizer que desistia da disputa ao Planalto "nesse momento" para garantir a sua ida ao União Brasil. A desistência, no entanto, foi negada hoje durante coletiva em São Paulo.   

Em novembro do ano passado, Moro se filiou ao Podemos para ser candidato ao Palácio do Planalto, mas trocou a legenda nesta semana pelo União Brasil; partido que é resultado da fusão do DEM com o PSL. A filiação de Moro foi negociada com a ala oriunda do PSL, como o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, e o deputado Júnior Bozzella, que administra a sigla em São Paulo.

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade