PUBLICIDADE

Mãe mantém gêmeos idênticos estudando em escolas diferentes; entenda

Um filho estuda em uma instituição de ensino pública, e outro, em uma particular

4 mar 2024 - 23h30
(atualizado às 23h42)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Uma mãe australiana de gêmeos idênticos contou como é manter os filhos em escolas diferentes, uma particular e outra pública, após perceber os filhos quererem frequentar uma escola diferente do outro.
Mãe mantém gêmeos idênticos estudando em escolas diferentes; entenda
Mãe mantém gêmeos idênticos estudando em escolas diferentes; entenda
Foto: Reprodução/Instagram

Uma australiana chamada Li-Ann Scott, mãe de gêmeos idênticos, contou como é manter os filhos em duas escolas diferentes. De acordo com ela, cada um tinha vontade de ir para uma escola e, desta forma, percebeu que tinha que tomar uma decisão difícil. 

Hamish queria muito frequentar uma escola particular para meninos. Já seu gêmeo, Luca, queria ir para uma pública. Antes de decidir, Li-Ann tentou colocar os dois juntos em uma instituição pública, mas apenas um conseguiu passar. 

“Eles choraram muito meses antes do início das aulas, sem querer ir para nenhuma das duas escolas, mas eu disse a ambos que essas eram ótimas oportunidades para tentar e se ele não gostassem poderíamos dar uma olhada em outras opções após um ano”, disse a mãe ao site australiano 9honey Parenting

Em entrevista, a mulher admitiu que não sabia qual era o correto a se fazer e até brincou que eles poderiam simplesmente trocar de lugar, pois os dois eram idênticos. “Eles podem manter suas personalidades, é claro, e seria muito interessante ver o que acontece como um experimento. Mas meu marido achou que eu era ridícula e disse que não”, contou. 

Após o início das aulas, Li-Ann percebeu a diferença entre as duas instituições. Um dos pontos reparados pela mulher foi a mensalidade, que era como “giz e queijo”. A da escola particular era US$ 10 mil (cerca de R$ 49 mil pela cotação atual) a mais do que a pública, além do gasto com pequenas quantias como US$ 20 para visitar um campo esportivo, US$ 1,4 mil em acampamentos e equipamentos como notebook. Na pública, era necessário cobrir gastos operacionais. 

Outro ponto era as atividades esportivas. Na de Luca, que estuda na particular, tudo é feito dentro da instituição; já Hamish tinha que fazer externa. Quanto aos uniformes, em uma era exigido uniforme completo para cada esporte, e o outro era mais básico. 

Apesar dos valores, a mãe admite que “você paga pelo que pagou” e que as particulares pressionam mais as crianças para ter um bom rendimento. A pública oferece um clima mais leve. “Percebi que um deles estuda muito mais porque quer manter sua vaga, enquanto o outro está indo com calma”, explica. 

Ela revela também que essa não é a primeira vez que os irmãos estudam separados. A mãe conta que quis que eles tivessem suas próprias experiências e os separou na escola primária. “Eles ficavam frustrados, pois os professores tendem a confundi-los e eles não gostam de toda aquela atenção. Eles só querem ser eles mesmos, o que encorajamos de todo o coração”, explica. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade