PUBLICIDADE

Estudante da UFRGS é morta enquanto fazia trabalho de campo em Porto Alegre

Sarah Silva Domingues era graduanda do curso de Arquitetura e Urbanismo; seu corpo será velado na universidade

24 jan 2024 - 18h55
(atualizado às 19h06)
Compartilhar
Exibir comentários
Sarah era estudante de Arquitetura e Urbanismo
Sarah era estudante de Arquitetura e Urbanismo
Foto: Reprodução/UFRGS

Uma estudante de 28 anos, graduanda do curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), foi morta enquanto fazia um trabalho de campo na Ilha das Flores, região de vulnerabilidade social em Porto Alegre. Sarah Silva Domingues foi atingida por um tiro, na noite da última terça-feira, 23, em frente a um estabelecimento comercial.

Segundo a Polícia Civil, um homem, de 53 anos, também foi baleado e morto. Ele seria o alvo dos tiros, mas a corporação não deu detalhes sobre o motivo do atentado. Sem identificá-lo, a polícia informou que ele tinha antecedentes por porte de arma e ameaça.

A Polícia Civil informou ainda que os disparos foram feitos por dois homens que passavam pelo local em uma moto. Por sigilo da investigação, não foi divulgado se há ou não suspeitos para o crime. A princípio, a informação é que Sarah não estava acompanhada por colegas ou alguém da instituição no momento de sua morte.

Testemunhas estão sendo ouvidas e a investigação é conduzida pela 2ª Delegacia de Homicídios de Porto Alegre.

Estudante será velada em faculdade

Sarah será velada no térreo do prédio da Faculdade de Arquitetura, no Campus Centro da UFRGS, a partir das 9h de quinta-feira, 25. Na tarde desta quarta, a aluna chegou a ser homenageada pelo Diretório Acadêmico.

Uma professora na universidade, Lucimar Siqueira fez uma publicação dedicada a Sarah. "Uma jovem, 28 anos, em fase final do curso, mãe, ativista, lutadora por direitos sociais, viveu ativamente a universiade pública, foi representante de estudantes em vários espaços, incluindo o Conselho Universitário da UFRGS e defendeu direitos de quem mais precisava", escreveu sobre a estudante.

Segundo a UFRGS, "Sarah era militante e dirigente da União da Juventude Rebelião (UJR), organização a qual dedicou seus melhores anos e toda sua alegria de vida, tornando-se uma das principais lideranças estudantis de Porto Alegre".

A jovem atuou como coordenadora do Movimento Correnteza, diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE), do Diretório Central dos Estudantes da UFRGS, do Diretório Acadêmico da Arquitetura (DAFA) e membro do Conselho Universitário (Consun) da UFRGS.

A instituição de ensino também forneceu aos estudantes um canal para atendimento e escuta aos colegas e familiares de Sarah.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade