PUBLICIDADE

Colapso de mina em Maceió: causas e o que é sal-gema

Entenda as causas do alerta de colapso de mina em Maceió e o que é sal-gema explorado pela mineradora Braskem. Clique e confira!

5 dez 2023 - 13h32
(atualizado às 13h40)
Compartilhar
Exibir comentários

Maceió enfrenta o risco de uma mina de exploração de sal-gema colapsar e provocar uma grande cratera. A Defesa Civil da capital alagoana informou em nota, no final da manhã desta terça (5), que há alerta devido ao risco iminente de colapso da mina nº 18, localizada na região campo do CSA, no bairro Mutange.

A orientação é que a população não circule na área já desocupada até uma nova atualização da Defesa Civil. O órgão informou que o deslocamento vertical atingiu a marca de 1,86 metros até hoje (5). 

A prefeitura de Maceió decretou emergência pública por 180 dias diante da situação. De acordo com Abelardo Nobre, coordenador-geral da Defesa Civil de Maceió, não é possível dimensionar o tamanho da cratera que pode se abrir com o colapso, já que o cenário é inédito e os dados não conseguem realizar uma previsão.

No dia 3 de março de 2018, Maceió foi afetada por um tremor de terra, com magnitude de 2.4 na escala de Richter, segundo o Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). Neste mesmo ano, rachaduras surgiram em casas e nas ruas de bairros próximos à mineradora Braskem, localizada no bairro de Mutange, às margens da Lagoa Mundaú. Com isso, a área atingida teve de ser desocupada. A população cobra pela responsabilidade da mineradora, como também, por realocação e recursos.

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA-AL) multou a Braskem em mais de R$ 72 milhões pelos danos ambientais e pelo risco de colapso da mina nº 18. A corporação também foi autuada por omissão de informação sobre a questão da mina. A empresa recebeu 20 autuações desde 2018.

A primeira multa da Braskem se refere à degradação ambiental provocada pelas atividades da mineradora, que afetam a segurança e o bem-estar da população. Neste caso, o valor da multa foi de R$ 70,2 milhões.

Quais são as causas do colapso de mina em Maceió?

O alerta de colapso da mina em Maceió é decorrente de uma longa exploração na região, combinada à localização de uma das minas em uma área de falha geológica, afirma Augusto Neto, autor de Geografia no Sistema de Ensino pH. De forma simplificada, o professor explica que é como se formasse grandes buracos no subsolo que não são preenchidos.

Para prevenir riscos de colapso em minas de exploração, é fundamental o monitoramento geológico de forma contínua, enfatiza Augusto. Esse trabalho deve assegurar que a atividade não está sendo realizada em regiões onde há falhas tectônicas ou algum tipo de instabilidade geológica.

O preenchimento das cavidades criadas no subsolo com a retirada do sal é crucial no processo de prevenção de acidentes, alerta o educador.

As principais consequências do colapso da mina em Maceió são humanas, considera Augusto. São cerca de 60 mil pessoas deslocadas dos bairros que estão sob alerta. Nesse processo há os custos de realocação, indenizações, aterramento do terreno, reconstrução de imóveis, lista Neto.

Manifestação de moradores dos bairros atingidos pelo alerta de colapso de mina em Maceió. [2]
Manifestação de moradores dos bairros atingidos pelo alerta de colapso de mina em Maceió. [2]
Foto: Cibele Tenório / Agência Brasil. / Brasil Escola

A crise em Maceió não é a primeira, e infelizmente não deve ser a última desse tipo, e ela destaca a importância da gestão responsável dos recursos naturais e da prevenção de desastres ambientais. É urgente que todas as empresas compreendam, além das óbvias questões éticas, que esse tipo de despesa não é gasto, mas sim investimento. Em segurança jurídica, na construção de suas imagens e na sustentabilidade econômica dos seus próprios negócios.

Augusto Neto

Augusto Neto, autor de geografia do Sistema de Ensino pH.
Augusto Neto, autor de geografia do Sistema de Ensino pH.
Foto: Brasil Escola

Entenda o que são placas tectônicas e as principais neste artigo. 

O que é sal-gema e como é explorado?

O sal-gema é um tipo de cloreto de sódio, encontrado no subsolo e extraído por meio da perfuração de poços, conceitua Augusto Neto.

O professor explica que após extraído, é injetada água no sal-gema para que ele dissolva, formando uma espécie de salmoura. Dessa forma, o líquido formado é bombeado até a superfície.

O sal-gema é utilizado na produção de PVC, soda cáustica, cloro, entre outros produtos.

Videoaula sobre definição e classificação dos sais

Veja a videoaula que explica a definição e classificação dos sais:

Crédito da imagem:

[1] Itawi Albuquerque / Secom Maceió

[2] Cibele Tenório / Agência Brasil

Por Lucas Afonso 

Jornalista

Brasil Escola
Compartilhar
Publicidade
Publicidade