3 eventos ao vivo

Segundo Pesquisa, uso excessivo do fone de ouvido pode causar surdez precoce

10 ago 2017
11h47
atualizado às 12h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Fones de ouvido são muito populares por garantirem privacidade e discrição para quem gosta de ouvir músicas ou assistir vídeos em ambientes públicos, mas pesquisas recentes vêm trazendo o fato de que o uso inadequado pode fazer mal à saúde.

A Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido, ou Apidiz, mostrou certa preocupação com relação ao uso inadequado de fones de ouvido com volume alto, uma prática recorrente e que pode levar a perdas auditivas, principalmente entre os adolescentes e jovens.

O órgão realizou uma experiência com 170 jovens, entre 11 e 17 anos, e constatou-se a presença de zumbido nos ouvidos de cerca de 55% dos entrevistados (92 pessoas), por conta de som alto, sendo que 50% destas pessoas afetadas tiveram zumbido depois de usar os fones por muito tempo.

De acordo com a pesquisa, se os jovens continuarem se expondo a níveis muito altos de ruídos, como é o caso atual, é bem provável que apresentem perda de audição entre seus 30 e 40 anos.

O zumbido nos ouvidos pode ser considerado um tipo de perda auditiva, já que há uma lesão nas células ciliadas. Tais células ficam localizadas no ouvido interno (cóclea), se alongam e encurtam repetidamente à medida que são estimuladas por vibrações sonoras.

Quando esses estímulos são causados por altos níveis de vibrações (como em casos de fogos de artifícios, explosões ou som alto de um fone de ouvido), as células ficam sobrecarregadas e podem sofrer algum tipo de complicação, seja temporário ou definitiva.

O zumbido nos ouvidos é uma consequência de lesões nas células auditivas

Segundo um levantamento feito pela SBO (Sociedade Brasileira de Otologia), os casos de perda auditiva de 30 a 35% ocorrem por consequência à exposição rotineira ao ruído que causa surdez parcial. A Aborl-CCF (Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) alerta que a constante exposição a ruídos com frequência maior de 85 decibéis podem gerar danos significativos na estrutura auricular, que podem trazer danos irreversíveis. A pessoa pode ter zumbido contínuo ou ouvir sons distorcidos. Isso acontece por causa das várias lesões nas células auditivas sensoriais.

Existem algumas maneiras de se prevenir contra esse tipo de problema. Os pacientes podem optar por protetores auriculares em caso de exposição prolongada a algum tipo de barulho alto, ou então criando o hábito de fazer pequenos intervalos de 10 minutos a cada hora de contato com altos níveis de ruídos.

É indicado também evitar o uso de fones e ouvido com som alto, sendo a forma mais eficaz de combater esse tipo de surdez precoce (pelo menos até que os ouvidos possam se recuperar e não terem lesões definitivas).

É necessário ter alguns cuidados ao usar fones de ouvido de maneira excessiva como evitar passar muito tempo em ambientes fechados com música muito alta; manter o volume de aparelhos ligados aos fones de ouvido abaixo dos 60 decibéis; usar protetores auriculares toda vez que for se expor a sons muito altos; evitar ficar muito perto de caixas de som.

Se a pessoa precisar usar os fones, é importante optar pelos modelos de conchas, que distribuem melhor o som e são menos prejudiciais para a audição, além de não ligar diversos aparelhos barulhentos de uma só vez (exemplos: TV, máquina de lavar, rádio, liquidificador, etc.).

A Audiology é um site que traz Equipamentos Médicos e Audiológicos com um estoque de produtos, capaz de suportar o mercado atendendo todos os Estados, com mais de 5.000 clientes diretos espalhados por todo território nacional. Seja para paciente ou médico, como, a lanterna otoscópica, protetores auditivos, audiômetro, materiais de moldagem de aparelho auditivo, entre outros. Acesse o portal e saiba mais.

Veja também:

Último debate entre Trump e Biden tem tom mais ameno, mas com troca de acusações; veja destaques
DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade