0

O que é preciso para se tornar Perito Judicial e como entrar neste mercado

Devido à importância da atividade, peritos precisam de se aprofundar em sua especialização

11 mar 2019
16h11
  • separator
  • comentários

Somente no ano passado, o Relatório "Justiça em Números 2018" revelou que existiam pelo menos 80 milhões de processos tramitando no Judiciário brasileiro no ano anterior. Isso reflete a demanda extraordinária de trabalho para peritos judiciais e assistentes técnicos judiciais.

Foto: DINO / DINO

Conforme estatística do próprio poder judiciário, a cada ano mais e mais processos  são apresentados para julgamento junto aos tribunais brasileiros, e, na maioria dos casos,  o juiz vai depender de um auxiliar com formação técnica ou científica para orientá-lo no momento de proferir sua sentença final.  Esses auxiliares são chamados de peritos judiciais.

Qual o papel de um perito judicial?

No momento em que o juiz constata necessidade de auxílio para julgar um processo, em decorrência de a mesma versar sobre questões técnicas ou científicas, ele irá contar com auxílio de um profissional, já cadastrado junto ao Tribunal, cuja  formação condiga com a discussão entre as partes - e o nomeará para que apresente um parecer técnico.

Como poderia, por exemplo, o juiz decidir sobre os juros de um contrato de financiamento se ele jamais pisou em uma faculdade de ciência contábeis, ou como analisar o culpado pelos danos à estrutura de um prédio se ele não é engenheiro?

Os Juízes dominam o campo  do Direito e da Justiça e os Peritos dominam sua área de formação. A junção entre essas duas vertentes resulta em uma sentença justa, verdadeira e imparcial.

De modo geral, um perito judicial pode ser experiente em qualquer área: engenharia, assistência social, contábil, ambiental, criminal, entre outros - a lista é extensa.

Como se tornar um perito judicial?

Antes de mais nada, é preciso ter formação acadêmica específica na área da perícia. Entre as formações aceitas estão: administradores, contadores, assistente sociais, economistas, engenheiros, médicos, arquitetos, profissionais ligados ao meio ambiente, fisioterapeutas, odontólogos, profissionais da área de informática, químicos, entre outros.

Além disso, a maioria dos tribunais também exige também um Curso de Formação de Peritos Judiciais, que, sem dúvida, será imprescindível a uma atuação com excelência na área pericial. Importante ressaltar que não é necessário concurso, como muitos profissionais pensam.

"Nosso foco é formar peritos judiciais e assistentes técnicos que farão a diferença na justiça brasileira. Profissionais extremamente diferenciados e preparados. Dessa forma, criamos um Curso de Formação de Peritos Judiciais a Distância, que nos permite fornecer essa especialização a profissionais de todo o Brasil, auxiliando-os desde os primeiros passos até o momento em que são nomeados", diz Rosaura Blandy, professora, palestrante e especialista em Perícia Judicial do Curso Beta, empresa que forma peritos judiciais e assistentes técnicos e oferece também cursos jurídicos e de pós-graduação.

Ainda segundo a professora Rosaura, que já formou milhares de peritos judiciais em todo o Brasil "a área da Perícia Judicial pode ser usada tanto para quem deseja uma renda extra no final do mês ou para aqueles que desejam dar um novo rumo à carreira, aproveitando sua formação".

O Curso Beta conta com professores presentes em tempo integral por meio de um fórum e tutoria, onde os alunos - que hoje já somam mais de 10.000 - podem tirar dúvidas e trocar informações simultaneamente. Todas as aulas são ministradas por uma plataforma intuitiva, que facilita o aprendizado e o torna mais simples e prazeroso. Saiba mais: www.cursobeta.com.br



Website: http://www.cursobeta.com.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade