2 eventos ao vivo

Mulheres buscam aperfeiçoar-se para exercer seu papel de líder

Curso on-line vai orientar a mulher a conciliar as diversas funções que desempenha a fim de exercer uma liderança de excelência

17 jun 2019
11h13
  • separator
  • 0
  • comentários

Mulheres estão sempre envolvidas em inúmeras atividades e funções, elas são multitarefas. Carregam responsabilidades com a família, o que inclui zelar pelo bem-estar do marido, a criação dos filhos, os cuidados com a casa e, principalmente, com elas mesmas. Há ainda as que têm a incumbência de conduzir a família sozinha. Na vida profissional, ainda que o mercado de trabalho seja dominado pela figura masculina, paulatinamente, assumem funções que antes eram mais comuns aos homens, muitas, ocupando, inclusive, cargos de liderança.

Foto: shutterstock / DINO

Ao mesmo tempo em que os diversos papéis proporcionam satisfação com os êxitos, também geram desafios e crises existenciais. Foi pensando em ajudar e motivar a mulher a desenvolver uma liderança de excelência como esposa, mãe, profissional e na vida espiritual, que a Escola de Líderes On-line está lançando o curso Mulheres na Liderança, com aulas ministradas pela psicóloga e pastora, Elizete Malafaia.

"A mulher é agregadora. Exerce um papel expressivo dentro do lar, ao lado do marido. É o ponto de equilíbrio, principalmente no sentido de ser mediadora e nutridora dos relacionamentos afetivos na família. Por isso, é fundamental que ela esteja fortalecida nas áreas espiritual, emocional e física", comenta a psicóloga.

Os maiores desafios

Vencer o cansaço depois de um dia de trabalho é o maior desafio da profissional de Marketing, Renata Gonçalves, 35 anos. Casada e mãe de Theo, de 2 anos, ela gostaria de dedicar mais tempo ao seu filho.

"Meu maior desafio é manter o mesmo nível de energia em todas as áreas que atuo, principalmente, no meu papel como mãe. Sempre sinto que estou em débito nesta área e gostaria de me doar mais ao meu filho quando chego em casa depois de um dia cansativo", revela Renata.

 Administrar o tempo para exercer bem as muitas tarefas e papéis que desempenha é o objetivo da jornalista Daniela Campos, casada há apenas um ano. "Além do meu trabalho, eu atuo como líder na igreja da qual faço parte, então preciso dedicar tempo aos projetos e às pessoas que lidero. Também tenho que organizar a minha casa e ter tempo de qualidade com o meu marido", comenta Daniela, que também considera os relacionamentos outro grande desafio: "Eu lido com pessoas diferentes o tempo todo, e muitas vezes não é fácil", comenta a jovem.

Elba Alencar faz parte de um grupo que ainda é minoria, mas que tem crescido no mundo corporativo: as mulheres em cargos de direção. Em 2018, a Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), realizou uma pesquisa intitulada Perfil da Liderança em Comunicação no Brasil. A Aberje entrevistou 578 profissionais em 20 estados brasileiros e concluiu que as mulheres ocupam 45% do dos cargos de direção ou vice-presidência nas empresas em que trabalham.

Diretora-executiva da editora Central Gospel, Elba diz que liderar é um desafio que vale para todas as funções que desempenha como mulher, esposa, mãe e profissional. "Como líder tenho o instinto de dominar, controlar situações e definir as coisas. Meu maior desafio é perceber até onde posso agir sem tomar à frente das pessoas e interferir nas atribuições que elas desempenham", declara a diretora.

O curso

No curso Mulheres na Liderança, composto por 14 aulas divididas em três módulos, Elizete Malafaia trata sobre os papéis da mulher na sociedade e ensina que, para liderar, é necessário, em primeiro lugar, autogerenciar-se, o que significa conhecer e cuidar de si mesma. "A primeira competência de um líder é gerenciar a si mesmo. Quando buscamos uma vida de excelência crescemos, melhoramos como pessoa e nos aprimoramos em tudo o que nos propomos fazer", ressalta a psicóloga, que também é terapeuta de família e escritora, com mais de 15 obras direcionadas ao público feminino.

Entre os diversos temas, ela vai falar sobre importância da autoestima; ensinar a exercer uma liderança acima da média e a vencer as crises existenciais, que muitas vezes afligem a mulher por conta das inúmeras atribuições. "Quando buscamos uma vida de excelência crescemos, melhoramos como pessoa e nos aprimoramos em tudo o que nos propomos fazer", ressalta a psicóloga.

"O curso de liderança com certeza me orientaria a exercer melhor o meu papel como esposa, profissional e líder, porque eu entendo que liderar é exercer certo tipo de influência. Nós influenciamos as pessoas que estão ao nosso redor o tempo todo, e eu quero que a minha influência seja positiva. Também preciso aprender como dar prioridade ao que é importante no meu dia a dia, para que eu possa administrar todas as minhas funções da melhor maneira possível", ressalta Daniela Campos, enquanto Renata Gonçalves ressalta que um curso de liderança a ajudaria a organizar melhor o seu tempo e a focar mais energia nas atividades que são mais importantes.

Elba Alencar considera que o curso de liderança será muito proveitoso em todas as áreas. "É desafiador trabalhar o nosso 'eu'. Esse curso me ajudaria a melhorar nos relacionamentos, porque uma personalidade dominante acaba gerando desgastes. Por outro lado, fortalecer os relacionamentos gera saúde física e emocional".

Segundo Elizete Malafaia, para vencer os conflitos que acometem as mulheres no dia a dia, é fundamental colocar Deus como prioridade na vida. "Essa decisão fortalecerá a mulher nas áreas espiritual, emocional e física, a ajudará a exercer a autoliderança e a ser bem-sucedida dentro e fora de seus lares", conclui Elizete Malafaia.



Website: http://escoladelideresonline.com

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade