2 eventos ao vivo

Mudança é a Palavra do Ano para os brasileiros, aponta pesquisa

Levantamento recebeu mais de 5 000 respostas ao longo do ano. Mudança venceu as outras 4 finalistas: medo, esperança, luta e caos.

26 nov 2018
17h49
  • separator
  • comentários

Mudança é a palavra que melhor traduz o ano de 2018 para 34% dos brasileiros, na votação que determinou a #PalavradoAno2018, iniciativa realizada pela CAUSE e Ideia Big Data. As cinco finalistas desta edição foram: medo, esperança, luta, mudança e caos. O levantamento completo recebeu mais de 5 mil respostas ao longo do ano. 

O termo "mudança" representa bem o sentimento da população com o Brasil em 2018, segundo avaliação do cientista político Leandro Machado, sócio-fundador da CAUSE.

"A palavra do ano 2018 traduz bem o espirito da nossa época", afirma Machado. "Mudança costuma ser um sentimento típico de anos eleitorais, mas o que percebemos em 2018 é que isso veio com muito mais força. É algo marcante de um ano em que o debate eleitoral expôs nossas maiores mazelas."

Este é o terceiro ano consecutivo em que a pesquisa da Palavra do Ano é realizada pela CAUSE, consultoria que apoia marcas e organizações a identificar e fazer a gestão de suas causas. Desde 2017, a iniciativa tem a parceria do Ideia Big Data, empresa de pesquisa e consultoria de dados.

"A Palavra do Ano nos dá uma luz sobre o sentimento geral da opinião pública", diz o presidente do Ideia Big Data, Maurício Moura. "Agora nos resta aguardar ansiosamente por 2019 para saber como essa mudança vai se materializar na mente dos brasileiros".

Em 2016, a escolhida foi indignação; em 2017, corrupção. Segundo Machado, as duas primeiras edições também refletiram o momento em que o país vivia, com a economia em recessão em 2016 e o forte apelo no combate à corrupção, no ano passado.

As finalistas da edição 2018 foram determinadas depois de duas pesquisas com universo representativo da população realizadas no primeiro e no segundo semestres.

No total, o levantamento recebeu mais de 5000 respostas. Cerca de 600 palavras diferentes foram citadas.

COMO A PESQUISA É FEITA

A pesquisa para a #PalavraDoAno2018 é composta por 3 fases.

Fase 1: Duas consultas abertas, foram feitas no primeiro e no segundo semestre de 2018. No total, foram 3.481 respostas.

Fase 2: Em uma reunião de especialistas, feita na última quarta-feira (13/11), foram decididas as cinco finalistas. Os convidados têm múltiplas formações. Todos, de alguma maneira, atuam com o universo da palavra. São eles:  Jarid Arraes, Sérgio Spagnuolo, MC Soffia, PMC, Celso Toledo, Denis R. Burgierman, Denis R. Burgierman, Amara Moira e Leandro Beguoci (ver perfis completos abaixo).

Fase 3: Na segunda quinzena de novembro, as palavras finalistas voltaram para pesquisa popular e por processo de ponderação estatístico para aferir a opinião de uma audiência representativa da população brasileira. A amostra contou com 1537 respostas.

QUEM FORMA O JURI DE ESPECIALISTAS

Jarid Arraes - Escritora, cordelista e poeta. Tem mais  de 60 títulos publicados em Literatura de Cordel.

Sérgio Spagnuolo - É jornalista, fundador e editor da agência de jornalismo de dados Volt Data Lab, além de mestre em Relações Internacionais e Direitos Humanos pela PUC-SP e colaborador do site de checagem Aos Fatos. 

MC Soffia  -  Rapper, cantora e compositora brasileira. É conhecida pelas letras de suas canções, que falam sobre distorções sociais graves, como preconceito, racismo, machismo e que incentivam outras garotas a se amarem do jeito que são.

PMC - Está na cena Rap/Hip-Hop desde o final dos anos 80. Pedagogo, usa a música como instrumento para alfabetizar crianças.

Celso Toledo  -  Economista, doutor pela USP, mestre pela FGV. Consultor econômico, sócio e diretor das empresas LCA, E2 e MCM. 

Denis R. Burgierman -  Jornalista, escreveu livros como "O Fim da Guerra", sobre políticas de drogas, e "Piratas no Fim do Mundo", sobre a caça às baleias na Antártica. 

Amara Moira  -  Ativista da visibilidade trans, é escritora, crítica literária e doutora em Literatura pela Unicamp. 

Leandro Beguoci - Diretor editorial e de produtos da Associação Nova Escola. Entre suas iniciativas estão a maior revista e o maior portal para educadores do país. Antes de Nova Escola, Beguoci foi editor-chefe e head de branded content da F451, startup de jornalismo e conteúdo, onde organizou o modelo de negócios da organização. Também foi editor-chefe do grupo FOX no Brasil, onde organizou e estruturou a área digital da companhia. Foi também editor-executivo do iG, responsável por novos produtos e reformulação editorial, e repórter da Folha de S.Paulo e da revista Veja. É jornalista formado pela Faculdade Casper Libero, mestre em governança em mídia e comunicação pela London School of Economics e fellow em empreendedorismo em jornalismo pelo Tow-Knight Center da CUNY (City University of New York).

O QUE OS ESPECIALISTAS ACHARAM DA VENCEDORA

Denis Burgierman

"O desejo de mudança foi com certeza uma emoção dominante em 2018 - tão dominante que, nas eleições gerais, pesou muito mais do que considerações racionais (programa de governo, experiência, qualidade das ideias, preparação etc.). Obviamente, nem toda mudança é boa - como, ao longo da história, por várias vezes, eleitores fartos e indignados descobriram de um jeito trágico. Mas é importante acolher esse desejo de mudança, que é legítimo, e lidar com ele."

Leandro Beguoci

"É curioso notar que o que a soma de mudança + esperança [esperança teve 25% dos votos na fase final da pesquisa] dá quase a votação de Jair Bolsonaro em votos válidos. A soma de luta, caos e medo, quase a do Haddad. A polarização também é semântica. Porém, vejo uma sutileza interessante. Mudança é muito mais neutro do que o entusiasmado esperança. Ajuda a pensar nas gradações do voto em Bolsonaro."

SOBRE A CAUSE

A CAUSE é uma consultoria que apoia marcas e organizações na identificação e gestão de suas causas. Fundada em 2013, a empresa é especializada em estratégias de conscientização, engajamento e mobilização de diferentes públicos. Entre seus clientes estão organizações como Fundação Leman, WWF e Instituto C&A e empresas de diferentes setores, como Visa, Bristol-Myers Squibb, Libbs e Heineken, entre outras.

SOBRE O IDEIA BIG DATA

Fundado em 2011 pelo economista Maurício Moura, o IDEIA Big Data nasceu com a finalidade de prover inteligência competitiva para empresas, órgãos públicos e associações no Brasil e no exterior. É uma empresa que utiliza expertise em pesquisas (escuta) aliada ao uso de Big Data (armazena) para estratificar da forma mais detalhada possível informações individuais e apoiar de forma eficiente a comunicação direta (impacta). Seu objetivo é ajudar clientes a solucionar problemas, tomar decisões estratégicas e se comunicar com os seus públicos de interesse de forma mais assertiva e segura. Para isso, a empresa alia um big data robusto, ampla expertise internacional e uma equipe inovadora e multidisciplinar. Saiba mais: www.ideiabigdata.com.



Website: https://www.palavradoano.com.br/sobre-nos/

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • comentários
publicidade