0

Brasileiros passam 4 horas por dia, em média, no celular e comprometem cada vez mais a sua postura

Osteopata Daniel Camilo dá dicas para evitar danos no pescoço, coluna torácica e lombar

21 fev 2018
13h39
atualizado às 15h27
  • separator
  • comentários

Os brasileiros passam, em média, quatro horas por dia em frente ao celular, sem contar as outras horas diante de um computador, no carro, sofá. Tanto tempo assim tem levado um número de cada vez maior de pessoas a conviver com as chamadas doenças posturais, um mal da sociedade moderna, nosso corpo não foi preparado para ficarmos tanto tempo sentados e sem movimento. As principais consequências da má postura diante dos aparelhos eletrônicos são as dores no pescoço (coluna cervical), nas costas (colunas torácica e lombar) e até de cabeça. A contração prolongada dos músculos dessas regiões gera tensão, diminuição de vascularização, pois a passagem do sangue encontra barreiras, e então o músculo começa a produzir ácido como resultado do trabalho muscular sem o uso do oxigênio (lactato), irritando toda a região, podendo afetar inclusive os nervos que vão para a cabeça e braços.

O Fisioterapeuta e Osteopata Dr. Daniel Camilo, professor membro da pós-graduação em Osteopatia da DeVry Metrocamp, diretor do Instituto Camilo (clínica onde atende com Osteopatia), tem 19 anos de experiência na área, explica que as pessoas de todas as idades, com maior predominância entre os jovens e adultos que usam muito o celular, vêm sofrendo com a chamada Síndrome do Pescoço de Texto (ou TextNeck, em inglês). Trata-se de uma doença que vem aumentando ao longo dos anos, e que se manifesta quando ficamos com o pescoço curvado para frente, olhando o celular embaixo, por muito tempo. "Isso aumenta a pressão nos discos da coluna, diminui a lordose cervical, a musculatura fica contraída por muito tempo sem relaxamento para sustentar a cabeça,diminuindo a circulação do sangue nos músculos posteriores do pescoço e coluna torácica que seguem para cima até a nuca e terminam na cabeça. Isso aumenta muito o risco de desenvolver problemas, tais como dores musculares cada vez mais frequentes, dores de cabeça, dores nos braços e ombros, formigamentos, hérnias ou protrusões discais, artrose", explica.

De acordo com Camilo, além de sentar de forma errada em frente ao computador e por longas horas, as pessoas fazem uso incorreto dos smartphones, onde costumam ficar quatro horas diárias, desde que se levanta da cama e já começa a manusear o aparelho, até ir dormir com o mesmo.

"É muito comum hoje em dia usar o celular olhando para baixo. É uma postura muito ruim para os discos intervertebrais, uma vez que eles recebem muita pressão e a musculatura fica trabalhando em isometria. Ou seja, ela se contrai e não relaxa por muito tempo", explica "Com o tempo esta postura vai produzindo ácido lático, dando dores generalizadas, na região da cabeça, ombro e pescoço por acúmulo do lactato". Um outro erro bastante comum que os usuários de celulares incorrem, sem perceber, é manter os cotovelos para os lados e para cima, tencionando muito os músculos do topo do ombro os trapézios, afetando o pescoço, as costas, ombros e até a cabeça.

Para o Osteopata, o correto é que a pessoa mantenha o topo do celular na linha dos olhos ou um pouco abaixo dela, para que o pescoço não fique contraído durante o uso. Também é muito importante que os cotovelos fiquem apoiados a frente no tronco, dessa forma a musculatura do trapézio superior não ficará tensionada, evitando dores e outros problemas.

"É muito importante que os pais comecem a ficar atentos muito cedo com a postura de seus filhos, que passam horas em frente ao computador e telefone navegando em mídias sociais, nos joguinhos ou trabalhos de escola. É importante ensiná-los a usar os aparelhos de forma ergonômica desde cedo e orientá-los a não ficarem longos períodos expostos ao celular. O ideal é que o celular e computador não sejam usados continuamente por mais de 20-30 minutos. Passado esse tempo as crianças, assim como nós adultos, devemos realizar pausas, movimentar um pouco o corpo e realizar alongamentos com frequência. Para evitar as "cáries e tártaros musculares", precisamos "escovar" os músculos e articulações regularmente, com movimentos e alongamentos. Como dizia o Dr. Still, criador da Osteopatia, a vida é o movimento", completa Camilo.

DEZ DICAS PARA USO CORRETO DO COMPUTADOR
1 - Topo da tela ao nível dos olhos;
2 - Cabeça e pescoço retos;
3 - Ombros relaxados, costas retas e apoiadas na cadeira;
4 - Cotovelo a 90 graus e junto ao corpo;
5 - Quadril a 100 graus (tronco levemente deslocado para trás);
6 - Antebraços, punho e mãos em posição neutra e alinhados;
7 - Pés apoiados;
8 - Joelhos a 90 graus;
9 - Mouse e outros dispositivos perto do teclado;
10 - Pouca distância entre o teclado e a borda da mesa (10 centímetros).

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade