0

Vacinas experimentais recebem status de "via rápida" nos EUA

Medicamentos produzidos em conjunto pela Pfizer e BioNTech estão em fase de testes em humanos

13 jul 2020
08h53
atualizado às 09h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Duas vacinas experimentais desenvolvidas em conjunto pela empresa alemã de biotecnologia BioNTech e pela gigante farmacêutica norte-americana Pfizer receberam a designação de "via rápida" da agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, informaram as duas empresas nesta segunda-feira.

Mulher segura frasco com rótulo "Vacina Covid-19" e seringa em foto de ilustração
10/04/2020 REUTERS/Dado Ruvic
Mulher segura frasco com rótulo "Vacina Covid-19" e seringa em foto de ilustração 10/04/2020 REUTERS/Dado Ruvic
Foto: Reuters

As candidatas a vacinas BNT162b1 e BNT162b2 são as mais avançadas entre as pelo menos quatro que estão sendo avaliadas pelas duas companhias em testes nos EUA e na Alemanha.

Neste mês, as duas empresas disseram que a BNT162b1 mostrou potencial contra o vírus e foi bem tolerada no estágio inicial de testes em humanos.

Dados iniciais dos ensaios feitos na Alemanha com a BNT162b1 são esperados para julho, disseram as empresas.

Se os estudos em andamento tiverem sucesso e as vacinas receberem aprovação regulatória, as empresas dizem esperar produzir até 100 milhões de doses até o final deste ano e potencialmente mais 1,2 bilhão de doses até o final de 2021.

As companhias afirmaram que esperam iniciar um teste em larga escala com até 30 mil participantes até o final deste mês, se receberam aprovação das autoridades reguladoras.

O status de "via rápida" dado pela Food and Drug Administration (FDA) é dado para acelerar a análise de novos remédios e vacinas que mostram potencial de atender necessidades médicas ainda não resolvidas.

Veja também:

Colunista do L! critica falha na coleta dos exames da Covid-19 em jogos do Brasileiro
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade