PUBLICIDADE

RJ investiga se homem tomou 5 doses de vacina contra a covid

Caso teria sido descoberto apenas nesta semana, quando indivíduo tentou receber a sexta aplicação de um imunizante contra o coronavírus

19 ago 2021 23h48
| atualizado em 20/8/2021 às 00h17
ver comentários
Publicidade

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro investiga o caso de um morador que teria tomado cinco doses de vacinas contra a covid-19, em um intervalo de dois meses e nove dias. O caso foi revelado nesta quinta-feira, 19, pela TV Globo

A carteira digital de vacinação do morador, exibida pela emissora, indica que ele tomou a primeira dose da vacina da Pfizer, em 12 de maio; tomou a segunda dose da AstraZeneca, em 5 de junho; a segunda dose da Coronavac, em 17 de junho; uma outra segunda dose da Pfizer, em 9 de julho; e a "primeira dose" da Coronavac, em 21 de julho. Os registros de primeira ou segunda dose indicam apenas a informação que ele prestou ao atendente quando chegou ao posto de vacinação - se já havia tomado a primeira dose ou não. Na prática, a vacina de cada fabricante é a mesma, seja em primeira ou segunda dose.

Profissional da área da saúde segura uma seringa com a vacina Pfizer/BioNtech contra Covid-19, em Bruxelas
28/12/2020
REUTERS/Johanna Geron
Profissional da área da saúde segura uma seringa com a vacina Pfizer/BioNtech contra Covid-19, em Bruxelas 28/12/2020 REUTERS/Johanna Geron
Foto: Reuters

Segundo a TV Globo, a pessoa teria tentado se vacinar mais uma vez nesta semana, mas não conseguiu.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que "o caso está sendo apurado, para se identificar se foi uma falha de registro no sistema ou de fato uma irregularidade".

Em junho, a prefeitura do Rio identificou pela primeira vez casos de pessoas que mentiram nos postos de vacinação para conseguir mais de uma primeira dose de vacina contra covid-19. Até o dia 25 daquele mês, ao menos 16 indivíduos tinham feito isso e eram alvo de investigação. Essas pessoas podem ser processadas por fraude, além de dano moral coletivo.

Falta de doses

No início da tarde desta quinta-feira, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, afirmou que o estoque para a primeira dose de vacinas estava "crítico". "Ficamos aguardando a semana toda a chegada de doses do Ministério da Saúde. Neste momento, as unidades estão com estoque crítico para aplicar a primeira dose", escreveu Soranz em suas redes sociais.

Depois disso, a Secretaria de Saúde informou que uma nova remessa de vacinas contra a covid-19 foi liberada na Central de Abastecimento do Estado, em Niterói. "O caminhão da Secretaria Municipal de Saúde do Rio está no local, aguardando a autorização de retirada, e a distribuição pelas unidades será iniciada imediatamente", informou a pasta às 17h08.

Por conta desse atraso na liberação das vacinas, alguns postos de vacinação ficaram sem doses nesta quinta-feira, informou a secretaria. "Jovens de 19 anos que eventualmente não consigam se vacinar hoje por falta de doses no posto de vacinação poderão se vacinar amanhã, sexta-feira, junto com as pessoas de 18 anos", informou a secretaria.

Estadão
Publicidade
Publicidade