PUBLICIDADE

"Prevent Senior usou pessoas como cobaias", diz Randolfe

Vice-presidente da CPI da Covid comentou dossiê sobre pesquisa supostamente fraudada da operadora de saúde após acordo com o governo federal

16 set 2021 11h42
| atualizado às 12h01
ver comentários
Publicidade
Randolfe Rodrigues em sessão da CPI da Covid nesta quinta-feira
Randolfe Rodrigues em sessão da CPI da Covid nesta quinta-feira
Foto: Pedro França / Agência Senado

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid quer discutir as denúncias relacionadas à empresa Prevent Senior e avalia pedir a condução coercitiva do diretor executivo da operadora de saúde, Pedro Benedito Batista Júnior. Convocado para depor nesta quinta-feira, 16, o representante não foi à comissão alegando ter sido convocado de última hora.

Conforme denúncia feita por médicos e ex-funcionários, o plano de saúde teria ocultado mortes de pacientes que participaram de um estudo realizado para testar a eficácia da hidroxicloroquina; a pesquisa teria sido ainda encomendada após um acordo com o governo Bolsonaro.

As informações estão em um dossiê, revelado pela GloboNews, que virou alvo de investigação da CPI. "O que a Prevent Senior fez tem que ser exemplarmente punido. Isso não pode ficar impune", disse o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

"Com o que temos hoje é impossível entregar o relatório como havíamos previsto (na próxima semana)", acrescentou o vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Para Randolfe, a empresa usou pessoas como "cobaias".

Em nota à imprensa divulgada nesta quinta-feira, a Prevent Senior informou que irá solicitar investigação ao Ministério Público do que chamou de "denúncias infundadas e anônimas".

Estadão
Publicidade
Publicidade