PUBLICIDADE

Pfizer: quarta dose pode ser necessária para conter Ômicron

Albert Bourla, CEO da Pfizer, disse que dados do "mundo real" são necessários para se ter certeza sobre proteção e por quanto tempo

9 dez 2021 10h43
| atualizado às 11h20
ver comentários
Publicidade
Na foto, vacina da Pfizer / BioNTech.
Na foto, vacina da Pfizer / BioNTech.
Foto: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA / Estadão

Uma quarta dose da vacina Pfizer pode ser necessária um ano após a aplicação da terceira para neutralizar a variante Ômicron, disse o CEO da farmacêutica, Albert Bourla, ao canal televisivo americano CNBC, na quarta-feira, 8. Porém, destacou que dados do "mundo real" são necessários para se ter certeza.

Mais cedo, a Pfizer Inc. e a BioNTech haviam anunciado que resultados preliminares de um estudo laboratorial inicial, ainda sem publicação em revista científica, mostraram que uma terceira dose é capaz de neutralizar a nova cepa. Com duas vacinas contra a covid-19, a quantidade de anticorpos diminui, mas ainda protege contra casos graves, asseguraram.

Bourla citou o estudo preliminar na entrevista e disse que foi realizado com base em uma cópia sintética da variante. Frisou a necessidade de dados do "mundo real", que devem chegar em duas semanas, para haver mais certeza sobre a proteção com três doses, por quanto tempo ela dura e a necessidade de uma quarta injeção.

Ele falou também que, em caso de necessidade, o laboratório estuda uma vacina adaptada à variante. A empresa já executou imunizantes especiais para a Delta e Alpha, comentou.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade