PUBLICIDADE

Pfizer e BioNTech lançam teste de vacina voltada à Ômicron

Estão em estudo a resposta imune no regime de três doses em pessoas não vacinadas e como reforço para pessoas com vacina original

25 jan 2022 17h26
| atualizado às 17h37
ver comentários
Publicidade
Frascos da Vacina Pfizer-BioNTech infantil contra Covid-19
Frascos da Vacina Pfizer-BioNTech infantil contra Covid-19
Foto: André Ribeiro

A Pfizer e a BioNTech disseram nesta terça-feira (25) que iniciaram um ensaio clínico para testar uma nova versão de sua vacina projetada especificamente para atacar a variante Ômicron da Covid-19, que escapou de parte da proteção fornecida pelo sistema original da vacina de duas doses.

Contando com voluntários nos Estados Unidos, as empresas planejam testar a resposta imune gerada pela vacina contra a Ômicron tanto como um regime de três doses em pessoas não vacinadas quanto como reforço para pessoas que já receberam duas doses de sua vacina original.

Eles também estão testando uma quarta dose da vacina atual contra a Ômicron em pessoas que receberam uma terceira dose da vacina Pfizer/BioNTech de três a seis meses antes. As empresas planejam estudar a segurança e a tolerabilidade das doses nas mais de 1.400 pessoas que serão inscritas no teste.

"Embora a pesquisa atual e os dados do mundo real mostrem que os reforços continuam fornecendo um alto nível de proteção contra doenças graves e hospitalização com a Ômicron, reconhecemos a necessidade de estarmos preparados caso essa proteção diminua com o tempo e potencialmente ajudar a lidar com a Ômicron e novas variantes no futuro", disse a chefe de pesquisa e desenvolvimento de vacinas da Pfizer, Kathrin Jansen, em comunicado.

Dependendo da quantidade de dados de ensaios clínicos exigidos pelos reguladores, pode não ser possível realizar um plano atual para lançar uma vacina direcionada à Ômicron até o final de março, afirmou a BioNTech.

A Pfizer disse que duas doses da vacina original podem não ser suficientes para proteger contra a infecção da variante Ômicron, e que a proteção contra hospitalizações e mortes pode estar diminuindo.

Ainda assim, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos (CDC) EUA afirma que uma terceira dose de uma vacina de mRNA, como a vacina Pfizer/BioNTech, forneceu 90% de proteção contra hospitalização por Covid-19.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade