PUBLICIDADE

"Não há vacina experimental sendo aplicada", diz diretora da Anvisa

Meiruze Freitas reforçou procedimentos criteriosos adotados durante votação sobre uso da Coronavac para jovens de 6 a 17 anos; assista

20 jan 2022 15h56
| atualizado às 16h14
ver comentários
Publicidade
Meiruze Sousa Freitas reforçou procedimentos criteriosos durante votação que aprovou o uso da Coronavac para jovens de 6 a 17 anos
Meiruze Sousa Freitas reforçou procedimentos criteriosos durante votação que aprovou o uso da Coronavac para jovens de 6 a 17 anos
Foto: Reprodução / Anvisa

A diretora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Meiruze Sousa Freitas, reforçou nesta quinta-feira, 20, durante o voto favorável que concedeu para o uso da vacina Coronavac para jovens de 6 a 17 anos que “não há nenhuma vacina experimental sendo aplicada no país", termo que é comumente utilizado por pessoas contrárias à imunização.

Meiruze também relembrou os procedimentos criteriosos adotados pela agência para a aprovação de vacinas e medicamentos. "A Anvisa apenas aprova uma vacina contra a covid-19 após uma avaliação criteriosa que demonstra o cumprimento de padrões de qualidade, segurança e eficácia exigidos para qualquer vacina que seja utilizada no Brasil".

E acrescentou ainda que todas vacinas aprovadas passaram pelas fases 1,2 e 3 antes de serem disponibilizadas no país. “As pessoas não são cobaias", afirmou. Assista ao momento no vídeo a seguir:

"Não há vacina experimental", diz diretora da Anvisa:

 

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade