1 evento ao vivo

Mundo dividido está falhando no combate à covid-19, diz ONU

António Guterres alertou que uma ação conjunta é necessária

17 out 2020
15h17
atualizado às 15h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um mundo dividido tem fracassado ao enfrentar o desafio de lutar contra a pandemia de covid-19, disse neste sábado o secretário-geral da ONU, António Guterres, ao alertar que uma ação conjunta é necessária para evitar que milhões de pessoas sejam empurradas para a pobreza e fome.

Secretário-geral da ONU, António Guterres
14/09/2020
REUTERS/Mike Segar
Secretário-geral da ONU, António Guterres 14/09/2020 REUTERS/Mike Segar
Foto: Reuters

O ex-primeiro-ministro português afirmou que muito mais poderia ter sido feito se os países tivessem trabalhado juntos para combater a doença, que já matou mais de um milhão de pessoas.

"A pandemia de covid-19 é um grande desafio global para toda a comunidade internacional, para o multilateralismo e para mim, como secretário-geral das Nações Unidas", disse Guterres à agência de notícias portuguesa Lusa.

"Infelizmente é um teste que, até agora, a comunidade internacional está falhando."

Segundo ele, se medidas coordenadas não forem tomadas, "um vírus microscópico pode levar milhões de pessoas à pobreza e à fome, com efeitos econômicos devastadores nos próximos anos".

Guterres também criticou os países por falta de unidade na tentativa de resolver outros desafios globais, incluindo os conflitos no Afeganistão, Iêmen e Síria. "É uma fonte de enorme frustração", declarou.

Mais de 39 milhões de pessoas foram infectadas pela covid-19, de acordo com uma contagem da Reuters baseada em divulgações oficiais.

Foram registradas infecções em mais de 210 países e territórios desde que os primeiros casos foram identificados na China, em dezembro de 2019.

Veja também:

Os navios gigantescos que a pandemia mandou para o desmanche
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade