0

Medo do coronavírus cresce enquanto total isolamento cai

De acordo com a pesquisa Datafolha, 47% da população está com "muito medo" de ser infectada pelo novo coronavírus

30 jun 2020
08h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Apesar de temerem a infecção pelo novo coronavírus, os brasileiros estão menos comprometidos com o total isolamento social, segundo dados da pesquisa Datafolha, divulgados nesta segunda-feira (29) pelo jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com o levantamento, 47% da população afirmou ter muito medo do vírus causador da covid-19. O índice de junho tornou-se o maior, desde que a questão passou a ser feita, em março, quando 36% dos entrevistados deram a mesma resposta.

Pessoas se juntam para entrar em um trem em estação de metrô de São Paulo
25/06/2020
REUTERS/Amanda Perobelli
Pessoas se juntam para entrar em um trem em estação de metrô de São Paulo 25/06/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Um dos fatores que pode ter motivado e impulsionado o sentimento de medo do novo coronavírus é o aumento de mortes no País. Na primeira vez em que a pergunta foi realizada, 4 pessoas haviam sido vítimas fatais da covid-19. Atualmente, os óbitos passam de 58 mil.

Entre os que relataram “muito medo” do coronavírus, as mulheres (53% ante 41% dos homens), os mais pobres (51%, contra 36% entre os mais ricos) e os moradores da região Nordeste (52%) são maioria.

Por outro lado, o total distanciamento social diminuiu. Apenas 12% continuam completamente isolados em junho. Em abril, esse índice chegou a 21% e caiu para 16%, depois foi a 13% em maio.

A maioria, 51%, disse que só está saindo de casa quando é inevitável. Em maio, 50% deram essa resposta, enquanto em abril, 53%.

A pesquisa Datafolha foi realizada por telefone, entre os dias 23 e 24 de junho, com 2.016 entrevistados de todo o país. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

 

Veja também:

Bolsonaro viraliza com uso e defesa polêmica da hidroxicloroquina
Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade