PUBLICIDADE

Sistema Cantareira opera em estado de alerta

O volume operacional voltou a ficar abaixo dos 40%. Por enquanto, não há previsão de chuva regular para elevar o nível novamente

4 jul 2022 - 10h11
(atualizado em 6/7/2022 às 11h25)
Ver comentários
Publicidade

Foto: IStock 

Os últimos dias acenderam um alerta para o nível dos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo. Com nível abaixo dos 40%, o Cantareira voltou a operar em faixa de alerta.

É considerado estado de alerta quando o Cantareira opera com volume

igual ou maior que 30% e menor que 40%.

O volume operacional voltou a ficar em 40% na última terça-feira, 28 de junho. Neste dia, de acordo com dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo(SABESP), o volume chegou aos 40% e só caiu desde então.

Na atualização desta quarta-feira, 6 de julho, a Sabesp atualizou o volume operacional para 39,1% e este está sendo o menor nível no Cantareira dos últimos 7 anos para um mês de julho, desde 2015, quando estava no volume morto.

Foto: Climatempo
Foto: Climatempo

Tendência

É normal chover pouco nesta época do ano, já que o inverno tem os menores índices de chuva do ano. No entanto, há uma grande influência da chuva que ocorre durante os períodos chuvosos(primavera/verão). Analisando os últimos verões, a chuva tem ficado abaixo da média há alguns anos e, com isso, os períodos secos já estão começando com menos chuva que deveriam.

De acordo com os meteorologistas da Climatempo, ainda não há previsão de chuva significativa que faça o volume subir de forma expressiva nos próximos dias. Como o mês de agosto costuma ser o mais seco na região, a expectativa é que a chuva só deva ser mais persistente e volumosa a partir de setembro e faça uma diferença mais significativa a partir de outubro/novembro.

A Sabesp afirma que não há risco de desabastecimento no momento, mas reforça o uso consciente da água.

Climatempo
Publicidade
Publicidade