PUBLICIDADE

Saiba como se formam os raios

Podemos ter raios que começam nas nuvens e terminam no solo e raios que saem do solo para as nuvens. Confira!

7 dez 2021 12h40
ver comentários
Publicidade

Foto: iStock

O raio é, na verdade, uma descarga elétrica atmosfera que chega ao solo. Então, o que é uma descarga elétrica atmosférica? Como ela se forma na nuvem?

Descargas elétricas atmosféricas podem ocorrer dentro de algumas nuvens especiais, mas também durante uma intensa atividade vulcânica, em tempestades de areia e até sem nuvens no céu!

Mas o mais comum são as descargas elétricas atmosféricas que se formam em algumas nuvens que têm um grande desenvolvimento vertical e alcançam mais de 10 quilômetros entre sua base e o topo.

Nesta situação, uma parte da nuvem tem temperaturas abaixo de zero, onde se formam o gelo. Estas nuvens são conhecidas como cumulonimbus e são muito comuns em dias quentes e úmidos. É a nuvem típica da primavera/verão no Brasil.

Dentro destas nuvens temos uma grande quantidade de pedras de gelo, e também de gotas de chuva, cristais de gelo e até neve. Todas elas se movimentam intensamente na nuvem cumulonimbus devido às fortes correntes de ar que existem dentro desta nuvem. É o choque entre as pedras de gelo que geram as cargas elétricas na nuvem.

Em um certo momento, a nuvem fica como se fosse uma pilha com cargas positivas e negativas dentro dela. As cargas positivas ficam na parte superior da nuvem e as cargas negativas na parte inferior. Esta diferença de cargas gera a faísca, a descarga elétrica atmosférica na nuvem. O raio é a descarga elétrica atmosférica que chega ao solo.

Podemos ter raios que começam nas nuvens e terminam no solo e raios que saem do solo para as nuvens. As descargas elétricas atmosféricas podem ocorrer somente entre as nuvens.

10 coisas que você precisa saber sobre raios

A temporada de temporais no Brasil já começou. Com o calor e aumento da umidade no ar, as grandes nuvens cumulonimbus já estão se formando com maior frequência sobre o país. É hora de ter atenção redobrada com as descargas elétricas que acompanham as tempestades dos dias quentes e úmidos. O país é o mais atingido do mundo por raios. Dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) estima que cerca de 60 milhões de raios atinjam o solo brasileiro por ano, ou, cerca de dois raios por segundo.

A real chance de uma pessoa ser atingida diretamente por um raio é muito baixa, sendo em média menor do que 1 para 1 milhão. Porém, esse número pode aumentar mil vezes se estiver numa área descampada. 

Assista aqui o vídeo informativo sobre como se proteger dos raios

São os efeitos indiretos de uma descarga elétrica que trazem risco. Um raio pode causar incêndio, queda de energia elétrica e pode matar.

Foto: Climatempo
Climatempo
Publicidade
Publicidade