0

Pode nevar no próximo fim de semana?

Massa de ar muito frio, de origem polar, avança sobre o BR a partir do dia 19 de maio, devendo causar as mais baixas temperaturas no país deste ano, até agora.

16 mai 2018
17h29
atualizado em 17/5/2018 às 15h47
  • separator
  • comentários

A notícia de que uma forte massa de frio poderá provocar temperatura abaixo de zero e geada no Sul do Brasil nos próximos dias, ascendeu também as especulações sobre a possibilidade de nevar .

No outono/inverno de 2017 a ocorrência do fenômeno foi observada no dia 9 de junho , restrito às regiões mais elevadas da serra de Santa Catarina, mas no dia 17 de julho , houve a queda de neve, neve granular, de chuva congelada e de chuva congelante em diversas áreas do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do oeste e do sul do Paraná. Outro evento de neve ocorreu de forma tardia em 25 de agosto de 2017 .

Possibilidade de neve no próximo fim de semana

No próximo fim de semana, 19 e 20 de maio, uma forte e grande massa de ar muito frio , de origem polar chega ao Brasil e a temperatura já começa a baixar muito na Região Sul . Se há uma chance de nevar, quando o fenômeno poderia ocorrer?

A possibilidade de nevar no fim de semana existe, mas é baixa . A Climatempo considera a ocorrência de fenômenos como neve e/ou chuva congelada apenas para as regiões mais elevadas , acima de 1000 metros de altitude, na serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina . Há uma chance pequena de nevar em cidades como São José dos Ausentes na serra gaúcha, e em São Joaquim, Urupema, Urubici, Bom Jardim da Serra, todas em Santa Catarina.

A maior chance de nevar é entre o fim da noite do sábado, 19 de maio, e durante a madrugada do domingo, 20 de maio . As condições para neve serão menores durante a tarde e noite do domingo por causa da dissipação da nebulosidade.

Ar gelado e ciclone extratropical

Não basta estar muito frio para nevar. É preciso que o ar esteja também bastante úmido para que haja a formação de nuvens dentro das quais vão se desenvolver os flocos de neve.

O ar gelado do próximo fim de semana é garantido pela entrada da forte massa de ar frio de origem polar que chega ao Sul do Brasil. A umidade para a formação das nuvens vem com os ventos de um forte ciclone extratropical que estará girando no mar, no litoral da Região Sul. Os ventos levam a umidade do mar para o interior gaúcho e catarinense estimulando a formação de muitas nuvens baixas.

A simulação das 12 UTC de 16/5/18 (9 horas em Brasília) para ocorrência de neve do modelo atmosférico GFS (Estados Unidos) deu indicação positiva para o fenômeno.

Foto: Climatempo

Possibilidade de neve entre 19 e 20 de maio de 2018

Foto: Climatempo

Foto de Mycchel Hudsonn (Ag. São Joaquim Online): neve em São Joaquim em 17/7/2017

Precipitações de inverno

Precipitação é toda a água que cai das nuvens , mas em diversas consistências. Podemos ter precipitação de água sólida e de água líquida . A chuva, o chuvisco são precipitações líquidas. O granizo e a neve são precipitações sólidas. O mundo do gelo e da neve é diferente. Tem muitas particularidades que só os especialistas entendem.

Quando uma massa de ar muito fria passa sobre o Brasil podem ocorrer vários fenômenos típicos de uma situação de ar muito gelado como neve, neve granular, chuva congelada e geada . Qual a diferença entre estes fenômenos?

Foto: Climatempo

Tipos de precipitação de inverno

Chuva congelada

É a neve (precipitação sólida) que cai da nuvem , vira água líquida (passa do sólido para o líquido) ao passar por uma camada de ar mais quente (temperatura acima de 0°C) e recongela, ainda no ar, ao passar por uma camada de ar frio, com temperatura abaixo de 0°C. A chuva congelada (sleet ou ice pellets, em inglês) se parece com pequenos grãos de gelo.

Chuva congelante

É a neve (precipitação sólida) que cai da nuvem , vira água líquida (passa do sólido para o líquido) ao passar por uma camada de ar mais quente (temperatura acima de 0°C) e só vai congelar (passa do líquido para o sólido) ao tocar uma superfície com temperatura abaixo de 0°C. É uma precipitação de inverno.

Neve

Precipitação em forma de cristais de gelo , com formatos hexagonais e geralmente aglomerados formando o que conhecemos como flocos de neve. Se forma pelo congelamento direto do vapor d'água no ar .

Neve granular

É a neve (precipitação sólida) que cai da nuvem e chega ao chão em forma de minúsculos grãos de gelo (precipitação sólida), opacos, numa forma alongada e achatada, com tamanho menores do que 1 mm de diâmetro. É uma precipitação de inverno.

Granizo

São pedras de gelo (água na forma sólida) que se formam em nuvens do tipo cumulonimbus e chegam ao solo também como pedras de gelo (precipitação sólida), com aparência esférica, mas com tamanhos em geral superiores a 5 mm. Parte da pedra de gelo se derrete no caminho entre a base da nuvem e o chão, porque o ar está com temperatura acima de 0°C.  Mesmo assim, o granizo pode chegar ao solo como grandes pedras, do tamanho de um ovo ou de até maiores. Já foram observados granizos enormes, com até 15 cm de diâmetro. O granizo se forma em nuvens que possuem uma parte com temperatura abaixo de 0°C e outra com temperatura acima de 0°C. É uma precipitação de verão.

Quando ocorre uma tempestade de granizo pequenos ou médios, a impressão é de que nevou , porque o gelo acumulado forma um tapete branco nas ruas .

Geada branca

É o congelamento do orvalho que fica sobre alguma superfície quando a temperatura nesta superfície fica abaixo de 0°C . A geada pode se formar por exemplo sobre os carros, sobre telhados, madeiras e sobre a vegetação. A temperatura do ar acima do solo não precisa estar necessariamente abaixo de zero.

A geada não é uma precipitação . Geada branca NÃO cai da nuvem . Este fenômeno do mundo do gelo ocorre em noites muito frias, com pouca ou nenhuma nebulosidade e pouco vento . É só uma mudança de estado da água, do líquido para o sólido, e que acontece sobre uma superfície qualquer. Então , não é correto dizer "caiu geada". A geada se forma, a geada ocorre. A aparência da geada é a mesma que do gelo que se forma na geladeira .

Geada negra

Existe também a geada negra . O nome é por causa da aparência da vegetação que fica preta ou muito escurecida quando o fenômeno ocorre. A geada preta é o congelamento da vegetação por ação de ventos muito frios e fortes provocados na chegada de uma massa de ar frio de origem intensa. A geada negra é mais danosa para a agricultura porque queima e mata a seiva da planta, o que impede sua recuperação posterior.

Um exemplo clássico da geada negra é o que ocorreu no inverno de 1975 , no estado do Paraná, quando uma massa de ar polar extremamente forte passou pelo Brasil. As plantações de café do norte paranaense foram dizimadas, o que causou uma grave crise social e na economia  do Paraná e afetou também a economia do Brasil, já que o café era um dos principais produtos da balança comercial do país naquela época.

Climatempo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade