0

Onde descarto o que não é orgânico e nem reciclável?

Alguns materiais não devem ser misturados ao lixo comum. Saiba o que fazer com eles.

18 jan 2021
03h52
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

por Angélica Queiroz*

A enorme quantidade de lixo produzida pela nossa sociedade é um dos maiores problemas ambientais da atualidade. Só no Brasil, a cada 24 horas, são produzidos quase 250 mil toneladas de lixo. A maior parte desse material vai parar nos lixões e pode contaminar o solo e a água.

Países de todo o mundo estão preocupados com a questão, decisiva para construirmos um futuro mais sustentável. Muito do que precisamos mudar depende dos governos que precisam legislar, regular e fiscalizar o descarte do lixo. Também é importante investir em coleta seletiva e conscientizar a população sobre o assunto.

O problema é coletivo, mas toda mudança começa por atitudes individuais. A primeira coisa que todos precisamos fazer é diminuir a quantidade de lixo que descartamos. A estimativa é que cada brasileiro produza cerca de 380 quilos de lixo por ano. 

O que fazer? 

Utilizar menos embalagens e reaproveitar tudo o que for possível é essencial. Além disso, é fundamental separar bem o lixo doméstico e fazer o descarte correto de cada coisa.

Já sabemos que devemos separar o lixo orgânico (alimentos) do seco (plástico, papel, latas, etc.). O segundo tipo deve ser encaminhado para a reciclagem, através da coleta seletiva. Se a sua cidade ou bairro ainda não possuem o serviço, é seu dever como cidadão cobrar dos governantes para que ele seja implantado o quanto antes.

Onde descarto isso?

No entanto, alguns tipos de lixo não se encaixam em nenhuma dessas duas categorias e é importante saber onde fazer o descarte correto de cada coisa para não contribuir para aumentar a poluição ou colocar em risco ou dificultar o trabalho das pessoas que trabalham manuseando o lixo. 

Com uma pesquisa na internet você consegue informações sobre o descarte correto de quase tudo. Para te ajudar, fizemos uma lista com alguns tipos de lixo que precisam de descarte específico.

Medicamentos

Os medicamentos vencidos são um dos tipos de lixo que mais trazem riscos, podendo contaminar a água e prejudicar a saúde de quem entra em contato com eles. De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos é obrigatório o descarte reverso desse tipo de produto, ou seja, as farmácias e drogarias devem recolher e dar a esse lixo uma destinação segura. 

Nem todas fazem isso, mas vale pesquisar se precisar descartar medicamento. Neste site é possível colocar o seu CEP e encontrar pontos de coleta perto de você.

Pilhas e baterias

A maioria das pilhas e baterias contêm alguns materiais extremamente tóxicos em suas composições e, por isso, nunca devem ser descartadas no lixo comum. O ideal é usar pilhas e baterias recarregáveis que, apesar de custar mais caro, têm boa durabilidade e significam menos lixo tóxico no meio ambiente.

Se precisar descartar, o ideal é armazená-las dentro de um recipiente fechado, em local seco, e depois descartar em um ponto de coleta. É possível encontrar Papa-Pilhas em bancos, farmácias e estações de metrô. Os fabricantes têm obrigação de recolher esse tipo de material e dar a eles uma destinação segura.

Celulares e eletrônicos

Se vai trocar de celular e o antigo ainda está em condições de uso, o ideal é vender ou doar para outra pessoa. Mas, se vai mesmo jogar fora, lembre-se que os celulares e outros eletrônicos levam material pesado em suas composições e, portanto, também não devem ir para o lixo comum

Por lei, as operadoras e revendedoras devem aceitar os aparelhos antigos de volta. Alguns pontos de coleta de pilhas e baterias também costumam aceitar esse tipo de material.

Geladeira, televisão, microondas

Vale a mesma reflexão do item anterior: não é possível doar para alguém que possa consertá-los ou reaproveitá-los de alguma forma? As geladeiras desativadas que viraram bibliotecas itinerantes são um exemplo interessante.

Se o caso é mesmo de jogar fora, vale procurar oficinas que consertam esses itens, pois elas podem pegá-lo para reaproveitar algumas peças e também saberão o jeito certo de descartar o que não forem usar. Em geral, os fabricantes também recebem equipamentos antigos de suas próprias marcas.

Tecido

Roupas  em bom estado podem ser doadas para quem precisa. Várias ONGs recebem as peças e algumas até buscam na sua casa. Algumas aceitam mesmo retalhos, que aproveitam para fazer tapetes e outras peças de artesanato. Além disso, aquelas que já estão muito velhas, podem virar pano de limpeza.

O descarte de tecidos, especialmente os sintéticos, pode contaminar o solo e a água. Por isso, nunca os jogue no lixo comum.

*Jornalista em O Mundo Que Queremos.

Foto: Climatempo

Veja também:

Previsão Brasil - Muita chuva em parte do Sul e SP
Climatempo
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade