PUBLICIDADE

ODS 3: saúde para o desenvolvimento sustentável

A meta tem como focos saúde infantil e materna, além do combate às epidemias de doenças transmissíveis. Entenda.

3 ago 2021 00h22
ver comentários
Publicidade

por Angélica Queiroz (O Mundo Que Queremos)

A pandemia do Covid-19 parou o mundo e escancarou o quanto a saúde coletiva influencia em todas as áreas de nossas vidas, incluindo a economia. Das nossas relações ao modelo de trabalho, é difícil encontrar alguém que não teve os planos impactados de alguma forma. Esse, no entanto, é só um exemplo atual do quanto garantir condições de saúde para todas as pessoas, em todos os lugares, é fundamental para qualquer planejamento porque, antes de pensarmos em construir qualquer coisa, precisamos ter saúde. A Organização das Nações Unidas (ONU) sabe disso e incluiu saúde e bem-estar como a terceira meta entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Pode ser que você só tenha parado para pensar na importância desse tópico durante a pandemia, mas a verdade é que, em muitos lugares, as pessoas lidam com epidemias graves cotidianamente. Muitas delas também não têm acesso a serviços de saúde básicos, que fazem com que, até mesmo problemas relativamente simples e procedimentos normais, como os partos, se tornem riscos à vida.

Segundo o Médicos sem Fronteiras,  todos os dias, cerca de mil mulheres morrem durante a gravidez ou de complicações durante o parto pelo mundo. A ONU estima que, anualmente, mais de 6 milhões de crianças ainda morrem antes de seu quinto aniversário. 

As epidemias de HIV/Aids, tuberculose, malária e outras doenças infecciosas também ainda matam muita gente pelo mundo, perdas que a OMS acredita que podem ser evitadas através de prevenção e tratamento, educação, campanhas de imunização e cuidados de saúde sexual e reprodutiva, entre outros. Mas não é só isso.

As doenças crônicas não transmissíveis, principalmente cardiovasculares, respiratórias, câncer e diabetes, ainda são responsáveis por mais de 60% das mortes em todo o mundo, com estimativas de  prejuízos econômicos para os países de renda média e baixa de mais de US$ 7 trilhões até 2025.

Grande parte dessas perdas, tanto de vidas quanto de dinheiro, poderiam ser evitadas com prevenção.

Foto: Climatempo

ODS 3: saúde para o desenvolvimento sustentável

O ODS 3 olha especialmente para tudo isso, tendo como metas, até 2030, alcançar a cobertura de saúde universal e dar acesso a medicamentos e vacinas seguras.

O objetivo considera que melhorar a saúde é fundamental para fomentar as capacidades humanas, incluindo a disposição para mudar a forma como nos relacionamos com o planeta. Que também tem tudo a ver com a saúde, tanto quanto a adoção de hábitos mais saudáveis, como alimentação balanceada e livre de agrotóxicos, que são as primeiras coisas que nos vêm à mente quando pensamos no assunto.

Vários estudos que surgiram durante a pandemia relacionam essa e futuras epidemias ao desmatamento, por exemplo. Tudo está interligado. Além disso, para ter disposição para pensar em outras formas de viver todos precisam, antes, de saúde básica. Como diz aquele ditado popular que, como a maioria deles, carrega muita sabedoria: "saúde e paz, o resto a gente corre atrás."

 

ODS

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, fazem parte do plano de ação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, definida em 2015, durante uma reunião de líderes mundiais na sede da ONU, em Nova York. Os ODS são tarefas válidas para todo o mundo, com objetivos comuns para fazer do planeta um lugar mais justo e sustentável. Aqui a gente explica melhor e conta quais são eles.

Foto: Climatempo
Climatempo
Publicidade
Publicidade