0

Terremotos continentais seriam o efeito de antigos tremores

5 nov 2009
10h58

Um estudo publicado na Revista Nature por cientistas do Instituto de Pesquisas Geológicaas dos Estados Unidos sugere que uma série de tremores oocorridos ao longo rio Missipi e outros locais dentro dos continentes poderiam ser não uma nova série de terremotos, mas sim o efeito retardade de antigos abalos sísmicos. As informações são da revista USA Today.

"Todo grande terremoto na região central de um continente surge como uma surpresa", afirma o co-autor do estudo Mian Liu, da Universidade de Missouri-Columbia. "Nós pensamos que devemos parar para repensar a dinâmica e as características físicas nestes locais."

No século XX, geofísicos demontraram que as crostas continentais se movem pela superfície terreste, fenômeno denominado deriva continental. Vulcões e terremotos surgem na borda do continentes quando estes entram em colisão com placas oceânicas. Entretanto, terremotos ocorridos no interior de continentes parecem originar-se de colisões continentais já finalizadas há muito tempo.

No estudo, os cientistas mostram que terremotos no interior de continentes - como a zona sísmica de Nova Madrid, Mississipi, atingida em 1812 por enormes tremores - geram impactos colateis que ainda se manifestariam muito tempo depois. Esses eventos apontam para um lento processo de acomodação da crosta continental.

Estima-se que outros grandes tremores atingiram a falha que se estende de Indiana para Mississipi ao longo dos últimos milênios. "Nós temos uma zona sísmica que produz uma aglomeração de terremotos. As chances de que ela tenha parado suas atividades são bem baixas". Tom Parson, do Centro de Pesquisas Geológicas, compara a tarefa de prever terremotos continentais à de "antecipar as condições climátiacs de todo um ano com base apenas em uma semana do mês de janeiro."

Fonte: Redação Terra
publicidade