3 eventos ao vivo

Governo propôs adiar encontro por cirurgia de Bolsonaro

2 set 2019
19h33
atualizado às 19h40
  • separator
  • 0
  • comentários

O governo brasileiro iniciou contatos com os demais países da região amazônica para tentar adiar a reunião marcada para discutir o desenvolvimento da região, marcada inicialmente para sexta-feira, disse nesta segunda-feira o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros.

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto
29/08/2019 REUTERS/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto 29/08/2019 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Adriano Machado / Reuters

A decisão foi tomada depois que o presidente Jair Bolsonaro foi informado por sua equipe médica de que terá que iniciar na sexta uma dieta líquida em preparação para a cirurgia que fará no domingo. O presidente terá que retirar uma hérnia surgida no local das cirurgias anteriores, feitas por causa da facada que levou durante a campanha eleitoral do ano passado.

De acordo com o porta-voz, existe ainda a possibilidade da reunião ser mantida, mas Bolsonaro enviar outra pessoa para representá-lo. Entretanto, "pela importância que o presidente dá ao tema", ele prefere ir pessoalmente.

A reunião foi uma das medidas anunciadas pelo governo na esteira da crise internacional causada pelo aumento das queimadas na Amazônia neste ano.

Semana do Brasil

O porta-voz anunciou também o lançamento, nesta terça-feira, da campanha "Semana do Brasil", em que o governo negociou com empresários varejistas para que façam ofertas especiais na semana de 7 a 15 de setembro.

Segundo Rêgo Barros, o governo identificou "um vazio de ações promocionais no mês de setembro" e propôs aos empresários uma ação promocional.

"Os objetivos são aquecer a economia, estimular o comércio e promover o turismo interno", disse.

Veja também:

Abrigo antibomba vira fazenda subterrânea em Londres; veja

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade