0

Furacão Matthew sobe para categoria 5, com ventos de 260 km/h

1 out 2016
00h53
atualizado às 09h44
  • separator
  • comentários

O furacão Matthew, que ameaça Colômbia, Cuba, Haiti e Jamaica, subiu nessa sexta-feira para a categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson, com ventos que atingem os 260 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) de Estados Unidos.

Segundo o NHC, o Matthew é o furacão 'mais potente' que castiga o Atlântico desde o Félix, que deixou cerca de 130 mortos em sua passagem pela Nicarágua em 2007.
Segundo o NHC, o Matthew é o furacão 'mais potente' que castiga o Atlântico desde o Félix, que deixou cerca de 130 mortos em sua passagem pela Nicarágua em 2007.
Foto: EFE

A 0h deste sábado, o Matthew estava a 125 quilômetros a nornoroeste de Punta Gallinas (Colômbia) e 710 quilômetros a sudeste de Kingston (Jamaica).

Segundo o NHC, o Matthew é o furacão "mais potente" que castiga o Atlântico desde o Félix, que deixou cerca de 130 mortos em sua passagem pela Nicarágua em 2007.

O furacão é "extremamente perigoso" e com um olho "bem definido", de acordo com o NHC, com sede em Miami, Flórida.

No boletim anterior, publicado três horas antes, o Matthew registrava ventos de 240 km/h.

O governo da Jamaica emitiu um aviso de furacão para toda a ilha, enquanto o haitiano fez um alerta de tempestade tropical para a costa sudoeste do país, desde a fronteira sul com a República Dominicana até Porto Príncipe.

Estas advertências se somam a outra emitida horas antes pelo governo da Colômbia, que enviou um aviso de tempestade tropical para a fronteira entre este país e a Venezuela, afirmou o NHC.

Segundo a previsão, o Matthew irá em direção oeste a uma velocidade mais lenta esta noite e no sábado ruma para oeste-noroeste.

O centro do Matthew se movimentará nas próximas horas rumo ao norte da península de La Guajira, no extremo nordeste da Colômbia e extremo noroeste da Venezuela, e permanecerá sobre o Caribe central no sábado e se aproximará da Jamaica no domingo.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade