3 eventos ao vivo

Cientistas identificam chance de vida na atmosfera de Vênus

Pesquisa rastreou a presença de fosfina e aponta a necessidade de investigar as causas da presença do composto no planeta

14 set 2020
12h03
atualizado às 12h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Cientistas dos Estados Unidos, Reino Unido e Japão anunciaram nesta segunda-feira, 14, a descoberta da presença do gás de fosfina na atmosfera de Vênus, o planeta mais próximo da Terra. A presença desse composto é considerada um indício de que possa existir vida naquele local, mas os pesquisadores apontam a necessidade de estudos mais aprofundados.

Cientistas identificam chance de vida na atmosfera de Vênus
Cientistas identificam chance de vida na atmosfera de Vênus
Foto: themotioncloud / iStock

A fosfina é um gás altamente tóxico, composto por hidreto de fósforo e raro de ser encontrado em seu estado natural na Terra, sendo utilizado principalmente em inseticidas. A fonte da substância em Vênus ainda não foi descoberta, mesmo após análises exaustivas na atmosfera, após análises de nuvens, superfície e subsuperfície do planeta ou pelo estudo de possíveis transferências por vulcões, relâmpagos e meteoros. Apesar de letal, a fosfina foi encontrada em uma quantidade impossível de ser criada por processos abióticos, indicando que sua presença no planeta pode estar ligada a organismos vivos.

Além das nuvens de ácido sulfúrico e uma temperatura tão alta que beira os 462,2ºC, o planeta tem uma atmosfera composta de 96% de dióxido de carbono e pressão de superfície 92 vezes maior que a da Terra. A descoberta foi feita usando o telescópio James Clerk Maxwell, no Havaí, e o telescópio Atacama, no Chile, por uma equipe de cientistas da Universidade de Manchester, Cardiff e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, além da participação da Universidade de Kyoto.

Veja também:

Investidores internacionais pedem resultados contra desmatamento
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade