0

Dinossauro T-rex andava, não corria, indica pesquisa

18 jul 2017
12h06
atualizado às 14h04
  • separator
  • comentários

Alinhe o corredor Usain Bolt nos blocos de partida com um Tyrannosaurus rex e o dinossauro será deixado para trás, indicou uma pesquisa auxiliada por computadores que inverteu convicções de longa data.

Enquanto a habilidade de correr do T-rex tenha sido muito debatida entre os paleontólogos há décadas, o consenso dos modelos biomecânicos anteriores era de que o carnívoro do período Cretáceo poderia atingir até 75 quilômetros por hora. A velocidade supera em mais da metade o valor atingido pelo homem mais rápido da história.

Dinossauro T-rex
Dinossauro T-rex
Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters

Entretanto, por conta de seu tamanho e peso, o predador teria, na verdade, quebrado suas pernas caso tentasse fazer um sprint, mostrou uma pesquisa da Universidade de Manchester.

"Os músculos precisam ser capazes de gerar potência suficiente para permitir uma locomoção de alta velocidade, mas, ao mesmo tempo, o esqueleto precisa ser capaz de lidar com as cargas geradas pela alta velocidade", disse o professor William Sellers, da Escola de Ciências da Terra e do Ambiente da Universidade.

"É aí que ele falha. O esqueleto do T-rex simplesmente não é forte o suficiente para se locomover correndo", disse Sellers à Reuters.

Pesquisadores usaram uma técnica de engenharia chamada de análise dinâmica de corpos múltiplos, junto com aprendizado de máquina, para produzir o que eles dizem ser a simulação mais precisa da marcha e da biomecânica do T-rex até hoje.

Eles concluíram que o T-rex era limitado a andar em velocidades de cerca de 5 metros por segundo, o equivalente a 18 quilômetros por hora, menos da metade da melhor velocidade de Usain Bolt, de 44 quilômetros por hora.

Um estudo publicado no jornal Biological Sciences, da Royal Society, em 2007 sugeriu uma velocidade máxima de 29 quilômetros por hora, conservadora na época - ainda assim rápida o suficiente para perseguir os maiores corredores por longas distâncias.

Sellers disse que seu estudo forçou um novo pensamento sobre como o T-rex alcançava suas presas.

"Ele certamente não teria sido capaz de perseguir animais que se moviam rapidamente", disse Sellers. "Isso deixa outras opções de caça tais como emboscadas e, claro, isso significa que ideias (desacreditadas) tais como 'T-rex, o caçador' devem ser reconsideradas."

Veja também

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade