0

MS: após prisão de prefeito, Justiça marca eleição em Dourados

11 dez 2010
08h11
atualizado às 08h39
Lucia Morel
Direto de Campo Grande

Após a Operação Uragano, deflagrada em setembro deste ano pela Polícia Federal (PF) em Dourados (MS), o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS) definiu na sexta-feira a data para as eleições extraordinárias no município, que serão realizadas no dia 6 de fevereiro de 2011. Na operação, foram presos o ex-prefeito Ari Artuzi (sem partido), o vice Carlinhos Cantor, além de vereadores, secretários municipais e empresários. Todos estavam envolvidos em um esquema de fraude em licitações.

A resolução 453, além de definir a data do pleito, também divulga o calendário das eleições extraordinárias e limita o período de permanência do prefeito e vice eleitos até 31 de dezembro de 2012. Segundo pesquisas de opinião, já há possíveis candidatos à prefeitura do município, no entanto, conforme a publicação, eles só serão oficialmente conhecidos no dia 4 de janeiro do próximo ano, quando encerra o prazo para o registro das candidaturas.

Os partidos e coligações já podem, entre os dias 13 de dezembro e 2 de janeiro, realizarem convenções para definir os nomes que serão levados às disputas internas para os cargos de prefeito e vice-prefeito de Dourados. Ao todo, serão apenas 20 dias para escolherem seus candidatos.

A data para o início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão é 20 de janeiro, podendo ser veiculada até três dias antes do pleito, ou seja, 3 de fevereiro. Nesse mesmo dia, encerra-se o prazo para realização de debates. Antes desse período (a partir de 5 de janeiro) as propagandas nas ruas, incluindo banners e cartazes, estão liberadas. Os partidos e coligações podem fazer carreatas e propaganda nas ruas até um dia antes da votação. Após o pleito, o prazo para que os candidatos eleitos sejam diplomados é 28 de fevereiro.

A administração municipal da cidade, atualmente, está nas mãos da ex-presidente da Câmara Municipal, Délia Razuk (PMDB), que assumiu a prefeitura depois que o juiz Eduardo Machado governou interinamente o município. o ex-prefeito e o vice renunciaram aos cargos no dia 1º de dezembro. Artuzi, que estava preso em Dourados, foi transferido para o Presídio Federal de Campo Grande, de onde foi solto no último dia 2.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade