0

"Lula deu suporte à corrupção na Petrobras", diz Hardt

6 fev 2019
18h07
atualizado às 18h18
  • separator
  • comentários

Ao sentenciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e 11 meses de prisão por supostas propinas de R$ 1 milhão referentes às reformas do sítio em Atibaia, a juíza federal Gabriela Hardt afirmou que o petista tinha o papel de "dar suporte à continuidade do esquema de corrupção havido na Petrobrás", ainda que não tenha sido "comprovada sua participação específica em cada negociação realizada nessas contratações".

Foto: Jornal do Brasil

"Comprovado ainda que o réu Luiz Inácio Lula da Silva teve participação ativa neste esquema, tanto ao garantir o recebimento de valores para o caixa do partido ao qual vinculado, quanto recebendo parte deles em benefício próprio. Tais verbas foram solicitadas e recebidas indevidamente em razão da função pública por ele exercida, pouco importando pelo tipo penal se estas se deram parcialmente após o final do exercício de seu mandato", anotou.

De acordo com a magistrada, o "fato de sua responsabilidade não ter sido apurada em auditorias internas ou externas da Petrobras, ou o fato das nomeações de Diretores passarem pelo crivo do Conselho da Administração não afastam sua responsabilidade". "Como já dito em outros julgamentos, auditorias são limitadas, e nem sequer identificaram à época oportuna o grande esquema de corrupção já desvendado".

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade