PUBLICIDADE

Lula: Bolsonaro deve ser interditado se for provada fraude

Ex-presidente classificou o trabalho da CPI da Covid como "primoroso"

6 jul 2021 11h05
| atualizado às 11h07
ver comentários
Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid como "primoroso". Segundo o petista, se for provada fraude do governo federal na compra de vacina Covaxin, é preciso interditar a governança do presidente Jair Bolsonaro. "Se for provada a corrupção como tem acontecido, obviamente que tem a orientação do presidente da República, porque o Ministério da Saúde não tomaria a decisão sem consultar a presidência", avaliou.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante entrevista coletiva em São Bernardo do Campo
10/03/2021 REUTERS/Amanda Perobelli
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante entrevista coletiva em São Bernardo do Campo 10/03/2021 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Na avaliação de Lula, as investigações da CPI seguem no caminho certo. "Não pode ter algo mais triste, mais deprimente, com um País precisando de vacinas, com muita gente que morreu por falta de vacina, e a gente agora fica sabendo de que pessoas estavam tentando ganhar dinheiro", lamentou o ex-presidente à Rádio Salvador.

Voto impresso

Apesar de reforçar o discurso de que sua candidatura para o pleito de 2022 ainda é incerta, Lula acredita que o voto impresso vai dar brecha para ocorrer fraude nas eleições. "Voto impresso é voltar à época dos dinossauros", pontuou, dizendo que não há necessidade de "mexer no que funciona".

O petista ainda avalia que, se fosse possível roubar no voto eletrônico, ele não teria sido presidente por dois mandatos. "A Dilma teria ganho duas eleições? O Haddad, depois da campanha de ataque ao PT, teria tido 47 milhões de votos? Eu acho que não", sugeriu.

Estadão
Publicidade
Publicidade