PUBLICIDADE

Lula: Povo não deve seguir decisão imbecil de Bolsonaro

Em primeira declaração após anulação de suas condenações na Lava Jato, ex-presidente afirma que vai tomar vacina e critica gestão de governo

10 mar 2021 12h57
| atualizado às 13h05
ver comentários
Publicidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que quer tomar logo a vacina contra a covid-19, independentemente de sua origem. Lula disse que vai pedir ao povo brasileiro para não seguir nenhuma "decisão imbecil" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ou do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello sobre o enfrentamento à pandemia.

Ex-presidente Lula em São Bernardo do Campo
 15/11/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Ex-presidente Lula em São Bernardo do Campo 15/11/2020 REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Reuters

Lula prestou solidariedade aos familiares das quase 270 mil vítimas fatais do novo coronavírus e apontou que sua dor pelas condenações na Lava Jato, agora anuladas, é muito menor que a daqueles que perderam parentes para o vírus. "O sofrimento das pessoas pobres no País é infinitamente maior que qualquer crime contra mim", comentou.

Em seguida, o ex-presidente partiu para críticas ao governo de Jair Bolsonaro, principalmente no combate à covid-19. "A questão da vacina não é questão se tem dinheiro ou não. É questão se eu amo a vida ou amo a morte", atacou. "Muitas das mortes poderiam ser evitadas se o governo tivesse feito o elementar", acrescentou.

O petista sustentou que Bolsonaro deveria ter, desde a chegada do vírus ao Brasil, convocado um comitê com as autoridades de governo e especialistas para guiar as medidas do Executivo federal na prevenção ao contágio pela covid-19. "O País está totalmente desordenado e desagregado porque não tem governo", declarou o ex-presidente.

Estadão
Publicidade
Publicidade