PUBLICIDADE

Justiça condena Eunício Oliveira a pagar R$ 50 mil a Ciro

Ex-presidente do Senado devera indenizar o pré-candidato à presidência depois de chamá-lo de "batedor de carteira"

27 nov 2021 14h49
| atualizado às 17h07
ver comentários
Publicidade

A juíza Fabricia Ferreira de Freitas, da 23ª Vara Cível de Fortaleza, condenou o ex-presidente do Senado Eunício de Oliveira (MDB) a indenizar o ex-ministro Ciro Gomes (PSD) em R$ 50 mil por ter chamado o pré-candidato à presidência de "batedor de carteira", "sem escrúpulos" e "cooptador de partido". A magistrada ponderou que a declaração de Eunírio 'atinge diretamente' a imagem de Ciro, considerando que o emedebista dirigiu ao ex-ministro "palavras ofensivas".   

A decisão foi dada na quinta-feira, 25, no âmbito de ação em que Ciro pedia indenização de R$ 100 mil pelas ofensas que foram proferidas por Eunício em entrevista concedida à Rádio O Povo/CBN em novembro de 2015.  

Em sua decisão, Fabrícia afastou a alegação da defesa de que Eunício estaria isento do dever de indenizar Ciro por ser senador à época e ter 'imunidade formal e material'. A juíza frisou que a conduta do emedebista "não guardou relação com a sua função" como parlamentar.

Ciro Gomes durante protesto contra Bolsonaro realizado na Avenida Paulista
Ciro Gomes durante protesto contra Bolsonaro realizado na Avenida Paulista
Foto: Guilherme Gandolfi / Futura Press

A magistrada acabou arbitrando o valor da indenização em R$ 50 mil em atenção ao 'princípio da razoabilidade', indicando que definição do montante a ser pago a Ciro considerou 'grau de culpa e a capacidade socioeconômica das partes', além das 'circunstâncias em que ocorreu o evento e as consequências advindas ao ofendido'.

Estadão
Publicidade
Publicidade