PUBLICIDADE

Bolsonaro concede Medalha do Mérito Científico a si mesmo

Esta é a primeira vez que a condecoração é destinada a um líder negacionista científico

4 nov 2021 18h59
| atualizado às 19h24
ver comentários
Publicidade

Depois de propagar dezenas de declarações negacionistas contra a vacina anti-covid e a comunidade científica, o presidente Jair Bolsonaro concedeu a ele mesmo a Medalha de Ordem Nacional do Mérito Científico.    

A auto-premiação inédita no país foi publicada nesta quinta-feira (4) no Diário Oficial e oficializou o mandatário como grão-mestre. Esta é a primeira vez que a condecoração é destinada a um líder negacionista científico.  

Jair Bolsonaro em Brasília
Jair Bolsonaro em Brasília
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

Desde o início da pandemia de covid-19, Bolsonaro adotou um discurso negacionista sobre a doença e questionou as medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades sanitárias, como isolamento social, o uso de máscara e a vacinação. A honraria geralmente é entregue pelo poder público a personalidades, nacionais ou estrangeiras, que contribuíram para o desenvolvimento da ciência, inovação e tecnologia no território brasileiro.

 Além de Bolsonaro, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, foi homenageado com o título de chanceler, enquanto Paulo Guedes, da Economia, recebeu um posto no Conselho de Ordem, assim como os ministros das Relações Exteriores, Carlos França, e da Educação, Milton Ribeiro.

Outras homenagens - Esta não é a primeira vez que o líder do Brasil condecora, se não ele, a família. Em julho, Bolsonaro homenageou a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, com a Medalha de Mérito Oswaldo Cruz.
O prêmio reconhece esforços no âmbito das atividades científicas, educacionais, culturais e administrativas relacionadas com a higiene e a saúde pública a quem tenha contribuído para o bem-estar da população.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade