PUBLICIDADE

Barbosa diz que xingamentos contra Dilma foram 'baixaria'

16 jun 2014
14h27 atualizado às 14h35
0comentários
14h27 atualizado às 14h35
Publicidade
<p>A presidente foi hostilizada na abertura da Copa do Mundo</p>
A presidente foi hostilizada na abertura da Copa do Mundo
Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters

O ministro Joaquim Barbosa classificou as vaias contra a presidente Dilma Rousseff no jogo de abertura da Copa do Mundo, na última quinta-feira em São Paulo, como baixaria. Segundo informações da rádio CBN, as afirmações foram feitas nesta segunda, antes da última sessão de Barbosa no Conselho Nacional de Justiça.

O ministro não quis fazer comentários sobre o julgamento do mensalão, mas sinalizou que hoje pode decidir se vai submeter ou não ao plenário do STF o recurso do ex-presidente do PT, José Genoino, que pede para retonar à prisão domiciliar. Também pode sair nesta segunda a decisão sobre os presos que pedem autorização para trabalhar fora da cadeia. 

"Não me abaterei", diz Dilma sobre vaias na abertura da Copa:

Na sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também repudiou as vaias e xingamentos entoados nas arquibancadas da Arena Corinthians no dia anterior. 

"Não é nem dinheiro nem escola nem títulos de doutor que dão educação para as pessoas. Educação se recebe dentro de casa. Eu nunca tive coragem de faltar com respeito a um presidente da República", disse Lula, durante um comício em Teresina.

Lula lembrou ainda que, durante sua carreira política, fez greves, enfrentou presidentes, mas nunca desrespeitou ninguém, "principalmente uma mulher". "Foi uma grande falta de respeito, pensei que o preconceito contra as classes pobres diminuiria depois da minha chegada à presidência", comentou.

"Eu pensava que as pessoas iam ficar felizes ao verem os pobres começarem a comer. Mas não, eles se incomodam. Eles preferiam um avião vazio, com meia dúzia de ricos", complementou Lula, antecessor de Dilma na presidência da República.

Ainda na sexta-feira, Dilma falou sobre as vaias e os xingamentos dizendo que não iria se abater com o ocorrido.  “Não vou me deixar perturbar, atemorizar por xingamentos que não podem sequer ser escutados pelas crianças e famílias. Aliás, na minha vida pessoal, enfrentei situações do mais alto grau de dificuldade, situações que chegaram num limite físico. Superei agressões físicas quase insuportáveis e nada me tirou do meu rumo, dos meus compromissos, nem do caminho que tracei para mim. Quero dizer para todos, não serão xingamentos que vão me intimidar, não me abaterei por isso”, disse.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade