0

GO: polícia prende suspeito de ser serial killer de mulheres

Jovem de 26 anos teria assassinado 16 moças com idade de 14 a 29 anos, além de 8 moradores de rua

15 out 2014
17h01
atualizado às 18h27
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Secretário de Segurança Pública de Goiás, Joaquim Mesquita, confirmou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (15), que a polícia goiana prendeu um homem que seria o serial killer responsável pela morte de diversas mulheres em Goiânia. Ao lado do delegado-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski, Mesquita disse que há provas de que o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, seja o autor das mortes das moças e também suspeito de assassinatos de moradores de rua, dentre outras vítimas.

“Não há dúvidas da sua participação, do seu envolvimento e da sua autoria em alguns destes crimes”, confirmou o Secretário Joaquim Mesquita. Segundo Gorski o suspeito é investigado há um mês. Ele foi preso na terça-feira, quando chegava em sua casa, no Conjunto Vera Cruz.

Tiago teria confessado o assassinato de 16 mulheres e 8 moradores de rua, que aconteceram de janeiro a agosto deste ano. As vítimas foram moças com idade de 14 a 29 anos, mortas em lugares públicos, por suspeito que agia com arma de fogo e em moto. Os crimes estavam sendo investigados por uma força-tarefa da polícia desde agosto. Por serem todas mulheres jovens e pela presença sempre de um motoqueiro, a hipótese de que as mortes pudessem ser trabalho de um serial killer agindo na cidade era uma das linhas de investigação.

A polícia ainda está finalizando detalhes das investigações, e, por isso não sabe confirmar o total das mortes cometidas por Tiago, mas o Delegado-geral Gorski admite que ele tem características de um assassino em série. “Eu acredito que ele é um serial. No começo passou a matar aleatoriamente. Por fim ele estabeleceu um padrão”, disse, citando as mortes das mulheres.

Nesta tarde, o governador Marconi Perillo recebe os delegados da força tarefa designada para esclarecer assassinatos de mulheres em Goiânia no Palácio das Esmeraldas. As famílias das vítimas também foram convidadas para a reunião.

Mais casos
Em uma segunda entrevista coletiva concedida na tarde desta quarta-feira, logo após de reunião com familiares de vítimas, o secretário de Segurança Pública, Joaquim Mesquita, informou que o trabalho da equipe da força-tarefa esclareceu que o suspeito preso foi o responsável – e já confessou – por  16 mortes de mulheres, mas ainda seria suspeito de mais crimes. “Nós temos que entender que ele não começou matando mulheres. Começou matando homens, utilizou faca, depois passou para arma de fogo. De um certo tempo para cá, ele começou a matar mulheres”, disse, por sua vez, o Delegado-geral João Carlos Gorski. 

Questionado sobre o número total de vítimas do vigilante, o delegado disse os detalhes da ação do suspeito serão fornecidos a imprensa nesta quinta-feira, durante apresentação dele pela polícia. “Se aproxima de 40 crimes”, disse, sobre a confissão de outros crimes pelo rapaz já preso. Dentre as outras mortes confessadas, a de oito moradores de rua. O homem não teria informado a motivação exata para os crimes. “Ele tinha raiva”, afirmou o delegado sobre o pouco que o suspeito teria dito, acrescentando, ainda, que só exames psiquiátricos podem esclarecer o perfil exato do suspeito. 

 

Veja também:

Bolsonaro nomeia Temer e Justiça autoriza viagem ao Líbano
Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade