PUBLICIDADE

PF prende policiais militares suspeitos de vender armas para facções nos estados da Bahia e Pernambuco

Força-tarefa da Polícia Federal também cumpre 33 mandados de busca e apreensão

21 mai 2024 - 09h26
(atualizado às 10h23)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Polícia Federal prende PMs, CACs e lojistas em operação de combate à venda ilegal de armas.

A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Fogo Amigo na manhã desta terça-feira, 21, para desarticular uma organização criminosa formada por policiais militares dos estados da Bahia e Pernambuco. 

PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
Foto: Divulgação/Polícia Federal

Além dos PMs, CACs (sigla para Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador) e lojistas que atuavam na venda de armas e munições ilegais para facções criminosas em estados do Nordeste também são alvos da operação. 

Ao todo, 20 mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão são cumpridos nos estados da Bahia, Pernambuco e Alagoas. Na operação, foi determinado o sequestro de bens e bloqueio de valores de até R$ 10 milhões dos investigados, além da suspensão da atividade econômica de três lojas que comercializavam material bélico de forma irregular.

PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
Foto: Divulgação/Polícia Federal

A operação acontece em uma ação integrada entre 320 agentes da PF, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) Norte, do Ministério Público da Bahia, e também com o Exército Brasileiro. O Exército esteve em outras lojas que comercializam armas, munições e acessórios controlados nos municípios de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, comercialização ilegal de armas e munições, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, cujas as penas somadas podem chegar a 35 anos de reclusão.

A Polícia Federal continuará as investigações porque, de acordo com o órgão, o tamanho da suposta organização criminosa pode ser ainda maior. 

PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
PF desarticula organização criminosa formada por policiais militares
Foto: Divulgação/Polícia Federal
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade