0

Isolamento aumentou violência contra mulher, diz Damares

2 abr 2020
19h06
atualizado às 19h15
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Ministra Damares Alves no Planalto 11/4/2019 REUTERS/Adriano Machado
Ministra Damares Alves no Planalto 11/4/2019 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quinta-feira que há uma grande preocupação com um aumento dos casos de violência contra a mulher no país durante o isolamento social determinado em consequência da pandemia de coronavírus, e fez um apelo para que as vítimas denunciem.

Segundo Damares, o canal de disque-denúncia de violência contra a mulher registrou um aumento de 9% de chamadas recentemente, enquanto no Rio de Janeiro, onde é possível fazer boletins de ocorrência pela internet, o número e notificações está 50% acima da média.

"Por favor denuncie. O ministério garante o sigilo e o anonimato ao denunciante, o que nós não podemos deixar é de denunciar. Nossos canais foram ampliados para o recebimento de denúncias", disse a ministra em entrevista coletiva no Palácio do Planalto sobre o coronavírus.

Segundo a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos do Ministério da Mulher, entre os dias 17 e 25 deste mês foram registradas 3.303 ligações recebidas, com 978 denúncias, um aumento em comparação com as 3.045, com 829 denúncias registradas, entre os dias 1º e 16 de março.

Outros países também têm relatado aumento no número de casos de violência contra a mulher durante a pandemia de coronavírus, que levou muitos governos a decretarem quarentenas e medidas de isolamento social, mantendo as pessoas em casa pela maior parte do tempo.

O governo espanhol informou nesta semana que as ligações ao disque-denúncia criado pelo país para as vítimas da violência de gênero dispararam nas duas primeiras semanas da interdição pelo estado de emergência imposto para combater a disseminação do coronavírus.

As chamadas na Espanha aumentaram 12,4% neste período quando comparadas com a mesma quinzena do ano passado, e as consultas ao site do serviço cresceram 270%, disse o Ministério da Igualdade.

Veja também:

As novas armas de Trump para reverter baixa popularidade às vésperas da eleição
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade