PUBLICIDADE

Sabesp muda forma de calcular nível de água do Cantareira

Após pedido do Ministério Público, a Sabesp passou a informar a quantidade, considerando o volume morto

17 mar 2015 18h41
| atualizado às 18h51
ver comentários
Publicidade
<p>A Sabesp informava o nível do sistema apenas ao volume útil, sem considerar os volumes mortos</p><p> </p>
A Sabesp informava o nível do sistema apenas ao volume útil, sem considerar os volumes mortos
Foto: Gabriel Câmara / Futura Press

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) alterou nesta terça-feira (17) a forma de calcular o nível de armazenamento do sistema Cantareira. Após recomendação do Ministério Público, a empresa agora informa a quantidade de água disponível no reservatório em relação ao total possível de ser armazenado – considerando os dois volumes mortos (reservas técnicas) autorizados pelos órgãos reguladores: de 182,5 milhões de metros cúbicos e de 105 milhões de metros cúbicos, respectivamente.

Até hoje, a Sabesp informava o nível do sistema em relação apenas ao volume útil, sem considerar os volumes mortos. A alteração fez com que o nível do Cantareira (hoje em 150,6 milhões de metros cúbicos) passasse de 15,3% (usando o método anterior) para 11,9% (com a nova medição).

O volume total armazenável no sistema é de 1.269,5 milhões de metros cúbicos de água: 982 milhões de metros cúbicos do volume útil, somados aos dois volumes mortos, respectivamente 182,5 milhões e 105 milhões de metros cúbicos.

Veja imagens de drone da retirada do volume morto do Cantareira:

A crise no sistema Cantareira

São Paulo: o fim da água São Paulo: o fim da água

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agência Brasil Agência Brasil
Publicidade
Publicidade