1 evento ao vivo

Qualidade da água derruba chefe de estação de tratamento

Governador do Rio se manifestou, dizendo que determinou apuração rigorosa. 'Transtornos inadmissíveis', disse Witzel

15 jan 2020
00h16
atualizado às 08h15
  • separator
  • 0
  • comentários

O chefe da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), Julio Cesar Antunes, foi exonerado nesta terça-feira, 14, do cargo, em meio à crise do abastecimento de água no Rio. A informação foi dada com exclusividade pelo Correio da Manhã e confirmada pelo Estado.

Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae)
Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae)
Foto: Cedae/ Divulgação / Estadão Conteúdo

A empresa anunciou uma entrevista coletiva para esta quarta-feira, 15, pela manhã, durante a qual mais detalhes sobre a exoneração serão anunciados. O governador do Rio, Wilson Witzel disse pelo Twitter que determinou uma "apuração rigorosa tanto da qualidade da água quanto dos processos de gestão" da Cedae. Para o governador, são "inadmissíveis os transtornos que a população vem sofrendo por causa do problema na água" fornecida pela companhia.

Há 12 dias foram registradas as primeiras reclamações sobre a cor, o cheiro e o gosto da água que sai das torneiras em diversos bairros do Rio. A Cedae informou que constatou na água apenas a presença de geosmina, uma substância orgânica que não faria mal à saúde. A insistência nas reclamações e os relatos de pessoas que teriam passado mal após ingerir a água levou o Ministério Público a determinar a coleta de amostras de água na última segunda-feira.

Witzel disse, também pelas redes sociais, que a empresa deve acelerar uma solução definitiva para aprimorar a qualidade da água e do tratamento de esgoto das cidades próximas aos mananciais. "O consumidor não pode ser prejudicado". O governador está passando férias com a família em Orlando, nos EUA, desde o final do ano e somente nesta terça, dia do seu retorno ao Rio, se manifestou por meio da rede social. /COM AGÊNCIA BRASIL

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade