2 eventos ao vivo

Para enfraquecer greve, sindicato ameaça demitir rodoviários

21 mai 2014
12h41
atualizado às 17h10
  • separator
  • 0
  • comentários

Diante da falta de acordo e da continuidade da paralisação, a direção do SPUrbanuss, sindicato patronal das empresas de ônibus de São Paulo, ameaça demitir os rodoviários grevistas. A medida teria como objetivo tentar enfraquecer o movimento e garantir a retomada dos serviços, que nesta quarta-feira entra no segundo dia. 

<p>Dezenas de ônibus pararam de circular em função da paralisação dos rodoviários na capital paulista</p>
Dezenas de ônibus pararam de circular em função da paralisação dos rodoviários na capital paulista
Foto: Fábio Sim / vc repórter

Segundo o diretor do sindicato, Francisco Christovam, essa seria uma medida extrema. Antes da demissão, haveria a análise do envolvimento dos trabalhadores, uma vez que há profissionais sendo ameaçados caso não integrem a paralisação. 

Uma das dificuldades apontadas pelo sindicado patronal para encerrar o movimento é a ausência de um representante oficial dos dissidentes, assim como a inexistência dos motivos reais da paralisação, uma vez que a categoria aceitou a proposta das empresas. Na segunda-feira, em Assembleia Geral, mais de 4 mil trabalhadores  aprovaram a proposta apresentada que prevê, entre outros, o aumento de 10% no salário; ticket mensal de R$ 445,50; PLR de R$ 850,00; 180 dias de licença maternidade. Ficou determinada ainda a criação de uma Comissão para discutir outras questões como convênio médico e situação do setor de manutenção. Diante da paralisação, a direção do Sindicato dos Motoristas de São Paulo informou, por meio de nota, que foi surpreendida com as manifestações. 

Na manhã desta quarta-feira, representantes dos sindicatos patronais e dos grevistas de empresas de ônibus de São Paulo estiveram reunidos na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo. Eles discutiram maneiras de tentar acabar com os protestos. Na ausência de uma liderança do movimento dissidente, o superintendente regional do Trabalho, Luís Antônio Medeiros, irá convocar pessoalmente os motoristas da Viação Santa Brígida, a primeira a deflagrar a paralisação, e buscar maneiras de terminar com a greve. Um novo encontro foi agendado para as 15h30. 

Foto: Arte / Terra

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade