1 evento ao vivo

Greve de ônibus em São Paulo: veja alternativas de transporte

Sindicato dos motoristas aprovou paralisação e capital deverá enfrentar dia difícil no trânsito nesta sexta

5 set 2019
21h07
atualizado às 21h20
  • separator
  • 0
  • comentários

O Sindicato dos Motoristas (Sindmotoristas) confirmou para esta sexta-feira uma greve de ônibus na cidade de São Paulo a partir da meia-noite e sem previsão de término. A paralisação deverá afetar o trânsito em toda a capital e a Prefeitura já informou que o rodízio de veículos estará suspenso ao longo do dia. Aplicativos de transporte oferecerão desconto e o Metrô e a CPTM terão operação reforçada diante do esperado crescimento na demanda. Confira o que deve mudar na rotina da capital:

Prefeitura libera rodízio

Diante da restrição nas opções de transporte público, a Prefeitura informou que o rodízio de veículos estará liberado ao longo desta sexta-feira. A medida já começou a valer na tarde desta quinta, quando uma manifestação da categoria havia fechado 21 terminais de ônibus, dificultando o deslocamento da população. Também será suspensa a Zona Máxima de Restrição a Fretados e liberado uso gratuito das vagas de Zona Azul.

Metrô e CPTM reforçam operação

A Companhia do Metropolitano e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informaram que, para atender a demanda, as linhas vão operar com oferta máxima de trens na manhã desta sexta em um período prolongado durante os horários de pico. A orientação dada pela CPTM para quem precisar mudar o trajeto em função da paralisação dos ônibus é consultar o site www.cptm.sp.gov.br e também as redes sociais da companhia (Twitter @CPTM_oficial e Facebook @CPTM.fanpage) para "planejar da melhor forma possível seus deslocamentos neste dia atípico".

Trajetos de bicicleta, a pé e caronas solidárias

A Prefeitura disse que, para as pessoas que realizam deslocamentos curtos, a recomendação é a "utilização de bicicletas ou que façam seus trajetos a pé". Além disso, é importante planejar o caminho e conversar com colegas de trabalho e vizinhos para organizar caronas solidárias.

Justiça determina 70% da frota de ônibus em circulação nos picos

A Prefeitura conseguiu junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) decisão favorável para aumentar a circulação da frota nesta sexta. Segundo a administração municipal, em razão da característica de serviço essencial, houve a determinação para que se mantenha o funcionamento de no mínimo 70% da frota nos horários de pico (6h às 9h e 16h às 19h) e de 50% nos demais horários, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento.

App oferece desconto em patinete

A Lime, empresa de aluguel de patinetes, informou que vai oferecer três desbloqueios gratuitos para os usuários, tanto para quem já possui conta quanto para quem instalar o aplicativo pela primeira vez. Para utilizar o benefício, é preciso inserir o código MELEVASP. A promoção já está disponível e continuará durante toda o dia nesta sexta-feira. A Grow disse que reforçará a distribuição de bicicletas e patinetes nesta sexta.

Representantes do Sindmotoristas anunciaram greve da categoria à partir de sexta.
Representantes do Sindmotoristas anunciaram greve da categoria à partir de sexta.
Foto: Isabela Naiara / Photo Press / Estadão Conteúdo

Evite deslocamento desnecessários

Para tentar diminuir o impacto da greve, o urbanista e consultor de engenharia de tráfego Flamínio Fichmann diz que as empresas poderiam propor home office para funcionários c

om funções administrativas. "Hoje em dia, o fluxo de pessoas indo e voltando do trabalho tem um peso muito grande. Quem realmente necessita se deslocar vai ter que acessar um outro meio de transporte, como o Metrô e a CPTM. Para chegar às estações, uma alternativa é utilizar bicicletas ou patinetes".

Fichmann acredita que as pessoas deveriam evitar deslocamentos que não sejam "absolutamente necessários" durante esta sexta-feira. "Seria melhor mudar a data de compromissos que não sejam trabalho, educação e saúde. Se alguém tem alguma visita agendada ou iria fazer compras, por exemplos, o ideal é tentar mudar a data do compromisso".

Greve foi aprovada nesta quinta e luta contra 'desmonte'

A paralisação foi votada pelos funcionários na tarde desta quinta-feira, 5, e cobra providências contra o que chamam de desmonte do setor, evidenciada por uma suposta redução na frota em circulação. A categoria cobra o pagamento de valores relativos à participação nos lucros e resultados (PLR) e ainda incluem na pauta de reivindicação apoio aos cobradores, função que eles dizem estar ameaçada pelas mudanças no sistema. Tudo isso se soma a problemas enfrentados pela Prefeitura no andamento da licitação do transporte coletivo municipal.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade