0

Bolsonaro lidera, e Haddad empata com Ciro, diz Datafolha

Cresceu a hipótese de um segundo turno entre PSL e PT

14 set 2018
19h48
atualizado às 19h55
  • separator
  • comentários

Pesquisa de intenção de voto divulgada nesta sexta-feira (14) pelo instituto Datafolha indica uma oscilação positiva de Jair Bolsonaro e um crescimento de Fernando Haddad, ungido candidato do PT após a inelegibilidade de Lula.

Apoiadores com camisas de Bolsonaro em frente ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo
Apoiadores com camisas de Bolsonaro em frente ao Hospital Albert Einstein, em São Paulo
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Internado há mais de uma semana por ter sido esfaqueado, o postulante do PSL subiu de 24% para 26%, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais, mas confirmando uma curva ascendente - em 22 de agosto, Bolsonaro tinha 22%.

Já Haddad, que tinha 4% há 23 dias e 9% em 10 de setembro, saltou para 13% e empatou com Ciro Gomes (PDT), que manteve o patamar. O ex-prefeito de São Paulo foi oficializado no lugar de Lula apenas no dia 11 de setembro.

Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou negativamente de 10% para 9%, enquanto Marina Silva (Rede) segue a tendência de queda e saiu de 11% para 8%. João Amoêdo (Novo), Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) aparecem com 3% cada.

Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU) e Guilherme Boulos (PSOL) ficaram com 1%, enquanto João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram. 6% ainda não sabem em quem votar, enquanto 13% optaram por branco ou nulo.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno, Bolsonaro ganharia apenas de Haddad (41% a 40%), mas dentro da margem de erro, e perderia para Marina (39% a 43%), Alckmin (37% a 41%) e Ciro (45% a 38%) - somente para este último fora da margem de erro.

O candidato do PDT também venceria Alckmin (40% a 34%), Marina (44% a 32%) e Haddad (45% a 27%). O petista, por sua vez, perderia de Marina (34% a 39%) e Alckmin (32% a 40%), enquanto o tucano derrotaria a ex-ministra (39% a 36%), mas dentro da margem de erro.

Rejeição

Apesar de ter melhorado seu desempenho, Bolsonaro também viu sua rejeição oscilar para cima, de 43% para 44%. Na sequência aparecem Marina (30%), Haddad (26%), Geraldo (25%) e Ciro (21%).

A pesquisa ouviu 2.820 eleitores entre os dias 13 e 14 de setembro e tem nível de confiança de 95%.

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade