PUBLICIDADE

Áustria relaxa lockdown para não vacinados

26 jan 2022 16h26
ver comentários
Publicidade

Medida será extinta pouco antes da entrada em vigor da vacinação obrigatória. Chanceler Nehammer afirma que UTIs do país não correm mais risco de sobrecarga, mas pede que a população se mantenha alerta.O governo da Áustria anunciou nesta quarta-feira (26/01) que a imposição de lockdown para as pessoas não vacinadas contra a covid-19, em vigor desde novembro, será encerrada na próxima semana.

Governo austríaco diz que lockdown não será mais necessário, uma vez que não há risco de sobrecarga nas UTIs.
Governo austríaco diz que lockdown não será mais necessário, uma vez que não há risco de sobrecarga nas UTIs.
Foto: DW / Deutsche Welle

O chanceler austríaco Karl Nehammer afirmou que a medida não será mais necessária, uma vez que o país não está mais sob a ameaça de sobrecarga nas UTIs. Ele afirmou que o lockdown para os não vacinados foi uma "medida da qual muitas pessoas reclamaram, porém, inevitável por razões de política de saúde ".

No dia 1º de fevereiro, entra em vigor no país a vacinação obrigatória para os adultos - a primeira desse tipo a ser colocada em prática na Europa. As autoridades afirmam que a obrigatoriedade se tornou necessária em razão do índice de vacinação abaixo do ideal, e que isso evitará uma pressão maior sobre os hospitais.

Até agora, 75,4% da população austríaca possui ciclo vacinal completo - número superior ao da Alemanha (73,6%), onde o debate sobre a obrigatoriedade da imunização foi iniciado no Bundestag (Parlamento) nesta segunda-feira.

"Apesar do relaxamento [das medidas], ainda é necessário cautela. Apelo aos 1,5 milhão de não vacinados que se vacinem e não esperem a obrigatoriedade entrar em vigor", afirmou Nehammer em seu perfil no Twitter. Logo após a medida entrar em efeito, todas as residências do país receberão informações sobre as novas regras.

A partir da metade de março, a polícia austríaca dará início a verificações do status de vacinação dos cidadãos em checagens de rotina. Os que não tiverem provas de que estão vacinados serão intimados a fazê-lo por escrito, e poderão receber multas de até 600 euros (3,7 mil reais, aproximadamente) caso não o façam.

Casos ainda em alta na Europa

Se as autoridades julgarem que o avanço da imunização ainda é insuficiente, serão enviados alertas aos não vacinados. Se isso não funcionar, eles receberão um agendamento. Em caso de não comparecimento, serão multados. O valor das punições pode chegar até 3,6 mil euros.

Além da Áustria, a Dinamarca também anunciou o relaxamento das restrições, após medidas semelhantes adotadas no Reino Unido, Holanda e Irlanda. Ao mesmo tempo, países como Polônia, Hungria e República Tcheca registram recordes em suas contagens diárias de casos.

Com mais de 10 milhões de novos casos, as infecções na Europa aumentaram em 13% em relação à semana anterior, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). França, Alemanha e Itália ainda registram os maiores números no continente. Por outro lado, a contagem semanal de mortes na região caiu 5%.

rc (AP, Reuters)

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Publicidade
Publicidade