PUBLICIDADE

'Vamos para cima das autoridades espanholas', diz Anielle sobre racismo contra Vini Jr.

Ministra da Igualdade Racial participou de coletiva sobre os ataques racistas sofridos pelo atleta em jogo do Real Madrid

22 mai 2023 - 12h10
(atualizado às 12h36)
Compartilhar
Exibir comentários
Vinicius Junior
Vinicius Junior
Foto: Jose Breton via Reuters Connect

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, falou nesta segunda-feira, 22,  sobre os ataques racistas sofridos pelo jogador de futebol brasileiro Vinícius Jr., do Real Madrid. Ela classificou a situação como inadmissível e que precisa ser combatida na "raiz", além de destacar que o governo brasileiro aguarda o posicionamento sobre as ações que a La Liga e as autoridades espanholas irão tomar. 

"É inadmissível, que, em 2023, a gente ainda tenha que estar aqui chamando a imprensa, em uma coletiva, falando sobre racismo. Enquanto tiver sangue correndo nas minhas veias, enquanto a gente estiver à frente desta pasta da Igualdade Racial, que o governo federal, do presidente Lula, que a  gente vai tá cuidando do povo brasileiro preto, seja aqui, seja fora do país, porque se tem uma coisa que assola a nossa comunidade preta é o racismo. E esse mal é um caso que a gente precisa combater na raiz", iniciou Anielle Franco.

A ministra ainda destacou que o governo brasileiro "vai para cima" das autoridades espanholas para que o campeonato seja investigado. "A gente vai notificar através do MP para que a La Liga responda pelos seus atos. A gente vai para cima das autoridades, notificar, oficializar para que tenha uma resposta. O histórico da La Liga não é bom, é bem racista", disse Anielle. 

Confira a entrevista no link abaixo:

Entenda o caso

No domingo, durante o segundo tempo, Vinícius Jr. acusou parte da torcida do Valencia de proferir insultos racistas contra ele, utilizando a palavra "macaco". O jogo foi interrompido por aproximadamente 8 minutos devido a essa situação. 

Ao final da partida, entretanto, Vinícius se envolveu em uma confusão com Hugo Duro e acertou um golpe no rosto do jogador do Valencia, resultando em sua expulsão após revisão do VAR. Os operadores do vídeo, porém, omitiram um mata-leão de Hugo no camisa 20 do Real, que se estendeu por cerca de 10 segundos antes do golpe de Vinícius.

Após o jogo, o jogador foi para o vestiário e não atendeu aos jornalistas. Nas redes sociais, Vinícius desabafou sobre o episódio deixando um recado aos espanhóis, afirmando como a Espanha é vista no Brasil e o que se tornou o Campeonato Espanhol.

"Não foi a primeira vez, nem a segunda e nem a terceira. O racismo é o normal na La Liga. A competição acha normal, a Federação também e os adversários incentivam. Lamento muito. O campeonato que já foi de Ronaldinho, Ronaldo, Cristiano e Messi hoje é dos racistas. Uma nação linda, que me acolheu e que amo, mas que aceitou exportar a imagem para o mundo de um país racista. Lamento pelos espanhóis que não concordam, mas hoje, no Brasil, a Espanha é conhecida como um país de racistas. E, infelizmente, por tudo o que acontece a cada semana, não tenho como defender. Eu concordo. Mas eu sou forte e vou até o fim contra os racistas. Mesmo que longe daqui", desabafou.

Racismo é crime; saiba como denunciar

Racismo é crime, com pena prevista de até 5 anos de prisão. Ao presenciar qualquer episódio de racismo, denuncie. Você pode fazer isso por telefone, ligando 190 (em caso de flagrante) ou 100 a qualquer horário; pessoalmente ou online, abrindo um boletim de ocorrência em qualquer delegacia ou em delegacias especializadas.

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade