PUBLICIDADE

Pastor é preso em MT suspeito de 4 estupros, dois deles com menores

Segundo as vítimas, o pastor se aproveitava de sua função para os abusos, inclusive passava "óleo ungido" nos órgãos sexuais das mulheres

19 mai 2022 13h47
| atualizado às 13h53
ver comentários
Publicidade

Um pastor foi preso nesta quarta-feira (18), em Mato Grosso, suspeito de cometer quatro estupros, entre outros abusos, na cidade de Confresa, interior do estado. Em dois dos quatro casos, as vítimas eram menores de idade. Segundo as vítimas, o pastor passava "óleo ungido" nas partes íntimas das mulheres, afirmando que iria tirar "magia negra" de seus corpos.

O suspeito, de 42 anos, foi identificado como Lourival Santos de Andrade, foi preso em Cuiabá e teve a prisão preventiva decretada pela Justiça. As investigações começaram após o registro do primeiro boletim de ocorrência, em agosto de 2021, contra o homem que se aproveitava da função para praticar os abusos sexuais. Segundo a Polícia Civil do Mato Grosso, o investigado residia em Cuiabá e cometia os crimes quando ia à cidade de Confresa realizar cultos e encontros pastorais.

Pastor é preso em MT suspeito de 4 estupros, dois deles com menores
Pastor é preso em MT suspeito de 4 estupros, dois deles com menores
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma das vítimas relatou aos policiais que participava de uma conferência na igreja, quando o pastor chamou a menor em um quarto fechado e acariciou as partes íntimas da adolescente, utilizando a sua posição espiritual e a confiança depositada nele pelas pessoas. Em outro momento, ele realizou uma chamada de vídeo com a menor, em que aparecia manipulando e exibindo o órgão genital.

Outra vítima do pastor, uma menor de 17 anos, relatou que em fevereiro deste ano foi até a igreja do pastor, para que ele fizesse uma oração. Então ele a levou para o banheiro da igreja, deu um óleo e pediu para passar na barriga. Na sequência, o investigado passou o óleo pelo corpo da vítima, que começou a sentir tontura. Então, o suspeito tirou o vestido da dolescente e praticou os atos sexuais.

Os investigadores policiais da Delegacia de Confresa notaram que os crimes eram cometidos sempre com o mesmo modus operandi. Durante a oração, o pastor falava que tinha que passar óleo ungido nas partes íntimas das vítimas, pois alguém havia feito “magia negra”. Em seguida, ele levava as vítimas para um quarto ou outro cômodo da igreja, passava o produto nos corpos das mulheres e praticava os abusos.

O homem teve a prisão preventiva decretada por estupro de vulnerável e será apresentado a audiência de custódia ficando à disposição da Justiça.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade